Alexandre Vidal/Flamengo e Ivan Storti/Santos FC
Alexandre Vidal/Flamengo e Ivan Storti/Santos FC

No Maracanã, Flamengo e Santos decidem primeiro turno do Brasileirão

Líder e vice-líder se enfrentam neste sábado, às 17h, na briga pelo título 'simbólico'

Pery Negreiros / Especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2019 | 04h30

Poucas partidas nos últimos anos carregaram tanta expectativa quanto o jogo entre Flamengo e Santos. O confronto das 17h deste sábado, no Maracanã, marca o embate não só entre as duas melhores equipes na tabela do Campeonato Brasileiro como vai opor os times que mais têm arrancado “suspiros” dos amantes do futebol ofensivo no País e mantêm outras semelhanças marcantes, como suas “legiões” de estrangeiros.

Líder, com 39 pontos, a maior pontuação do clube em um turno na era dos pontos corridos desde que o Brasileirão passou a contar com 20 times, em 2006, o Flamengo hoje está sob o comando de Jorge Jesus, que une disciplina tática, intensidade e carinho com os atletas. Do outro lado, o estilo inquieto e também intenso do argentino Jorge Sampaoli, com sua fixação permanente por inovações táticas, fez com que o time paulista chegasse aos 37 pontos, desempenho melhor que em 2017, quando atingiu 35, batendo o recorde anterior da série.

Os dois treinadores contam ainda com a participação marcante de atletas estrangeiros. No elenco carioca, o espanhol Pablo Marí, o paraguaio Piris da Motta, o uruguaio Arrascaeta e o colombiano Berrío assumiram funções importantes dentro da estratégia de “rodar o elenco” adotada por Jesus.

Sampaoli pode contar com sete estrangeiros: os colombianos Aguilar e Uribe, o peruano Cueva, o venezuelano Soteldo, o costa-riquenho Bryan Ruiz e o uruguaio Carlos Sánchez. Desses, apenas Cueva e Ruiz não têm sido figuras frequentes nas escalações de um técnico que não hesita em surpreender com formações que vez por outra dispensam até laterais de ofício no seu esquema tático.

O que separa os dois desafiantes hoje são as fases distintas, que teve como ponto de virada a 13.ª rodada. Naquele 4 de agosto, enquanto a equipe da Baixada atingia sua sétima vitória seguida, ao atropelar o Goiás por 6 a 1, e era líder do campeonato, os cariocas sofriam um acachapante revés por 3 a 0 para o Bahia, distanciando-se em oito pontos da ponta.

De lá para cá, o Fla ganhou cinco vezes, marcando 16 gols e sofrendo apenas dois, enquanto o Santos passou a amargar seu pior momento na disputa, com duas derrotas, dois empates e apenas um triunfo – o time foi vazado nove vezes e anotou só sete gols.

“A equipe é forte, mas nos mantemos focados. O Mister (Jesus) já viveu fases boas e ruins. A gente sabe que nem é tanto céu nem tanto a terra. Temos que estar equilibrados para manter nosso foco”, comenta o capitão do Flamengo, Everton Ribeiro.

O discurso de humildade é mantido também na Vila Belmiro. “Acredito que seja o jogo mais difícil deste primeiro turno. Pelo que o Flamengo vem fazendo, o favoritismo é todo deles”, desconversou o atacante Marinho. 

Jorge Jesus terá todo o time considerado titular à disposição com a volta de Rodrigo Caio, que estava suspenso, e Bruno Henrique, Berrío e Arrascaeta, que voltam de amistosos por suas seleções. O português terá a chance repetir o time pela primeira vez em 15 jogos

No lado santista, a ausência será o volante Diego Pituca, suspenso. É uma ausência importante, pois o jogador sempre ganha elogios do técnico por sua versatilidade. Jorge, Soteldo e Cueva, que também estavam com suas equipes nacionais, além de Victor Ferraz, após suspensão, ficam disponíveis novamente para Sampaoli. 

ANÁLISES:

Junior, ex-jogador do Flamengo

‘Todo mundo que gosta de futebol vai estar ligado nesse jogo’

Essa partida é a mais esperada desse primeiro turno, principalmente pela forma de jogar das duas equipes. Os treinadores montam seus times ofensivamente. Eles também pensam na defesa, mas têm essa mentalidade de jogar para frente. Acho que todo mundo vai estar ligado nesse jogo, porque são duas equipes que vêm demonstrando um bom futebol. É um futebol que a gente gosta de ver, e o momento reflete a classificação dos dois na tabela, brigando para terminar o primeiro turno na primeira colocação.

Acho que a diferença favorável ao Flamengo seja o fato de jogar com o Maracanã lotado, mas o Santos é perigoso, pela qualidade e pela forma de jogar. Não acredito que o Sampaoli vá de “peito aberto”, mas, quando o time tem a posse de bola, procura tomar iniciativa independentemente de onde esteja jogando. Talvez o Jorge Jesus e o Sampaoli estejam dando uma demonstração de que um time pode jogar para frente e não somente de forma reativa. 

Clodoaldo, ex-jogador do Santos

‘Santos precisa se fortalecer e pode surpreender o Fla’

O Santos aproveitou bem as oportunidades. Estava em uma competição só, enquanto outros times estavam em outras. Depois, os outros foram retomando e o Brasileiro e ficou bem embolado. As equipes não se distanciaram tanto. O Palmeiras chegou a abrir uma diferença na liderança, mas perdeu o foco por causa da Copa do Brasil e da Libertadores e deu uma caída. O Santos manteve o foco e conseguiu bons resultados. O Flamengo não perdeu o foco no Brasileiro, ainda mais depois da eliminação na Copa do Brasil.

Pode ser o momento da surpresa, daquela história de que tudo pode acontecer. O time quando se fortalece dobra a sua capacidade, tanto física quanto técnica. O Santos pode chegar lá, fazer um grande jogo e surpreender, mas a missão é muito difícil. O time tem grande chance para recuperar a autoestima. A derrota é até aceitável, mas precisa ter esse espírito de equipe, de união. O Flamengo é o melhor time do futebol brasileiro, mas aposto em um empate, 1 a 1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.