Gilvan de Souza/Flamengo
Gilvan de Souza/Flamengo

No Maracanã lotado, Flamengo encerra ano decepcionante e dá adeus a Lucas Paquetá

Promissor meia foi vendido para o Milan e faz seu último jogo com a camisa rubro-negra

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

01 de dezembro de 2018 | 16h34

Uma relação marcada por amor, algumas decepções e presença constante terá uma pausa neste sábado. Às 19 horas, o Flamengo receberá o Atlético-PR, no Rio de Janeiro, pela rodada final do Campeonato Brasileiro, com o estádio do Maracanã mais uma vez lotado pelo seu torcedor, mesmo que ele tenha tido poucas razões para comemorar em 2018.

Embora com um elenco forte, o Flamengo passou em branco durante toda a temporada. Caiu nas semifinais do Campeonato Carioca e da Copa do Brasil, foi eliminado nas oitavas de final da Copa Libertadores pelo Cruzeiro e teve o vice-campeonato brasileiro sacramentado no último fim de semana, quando o Palmeiras assegurou o título.

O desempenho frustrou a torcida do Flamengo, que protestou diversas vezes durante a temporada. Mas ela nunca abandonou o clube, tanto que o time termina o Brasileirão com a maior média de público da competição. E os ingressos para a partida contra o Atlético-PR já estão esgotados, o que garantirá um público de cerca de 70 mil pessoas neste sábado no estádio do Maracanã, mesmo que o duelo não tenha muito valor para o clube.

O Flamengo não pode mais deixar a segunda posição no Brasileirão, mas a partida tem seus atrativos para o torcedor. Afinal, o duelo será a despedida do meia Lucas Paquetá, uma das principais revelações do clube nos últimos anos e que foi negociado com o Milan por 35 milhões de euros (aproximadamente R$ 153 milhões).

Com apenas 21 anos e formado na Gávea, Lucas Paquetá deverá ser ovacionado pela torcida, mesmo que tenha recebido vaias em alguns momentos da temporada. "Não me preocupo com chorar ou não. Apenas em viver o dia da melhor maneira possível. Dar o meu melhor, fazer a alegria da torcida e agradecer muito", afirmou.

O compromisso contra o Atlético-PR também será o último de Dorival Júnior à frente do Flamengo. Com um contrato curto, para as 12 rodadas finais do Brasileirão, o treinador ajudou a recuperar a equipe, o colocou na briga pelo título nacional, mas não conseguiu a conquista que poderia mantê-lo no cargo para 2019.

O substituto de Dorival Júnior dependerá do resultado da eleição do Flamengo, marcada para o próximo dia 8. Candidatos das chapas favoritas, Ricardo Lomba e Rodolfo Landim tinham Renato Gaúcho como nome favorito. Mas como o ídolo do clube renovou o seu contrato, eles vão buscar outras opções, sendo Abel Braga considerado o principal candidato.

Na despedida de Lucas Paquetá e Dorival Júnior, o Flamengo não poderá contar com o volante colombiano Cuéllar, suspenso, sendo que Willian Arão é o principal candidato a substitui-lo. E Réver segue lesionado, o que fará a dupla de zaga voltar a ser formada por Léo Duarte e Rhodolfo.

Os problemas físicos também podem causar problemas para o ataque, que pode ficar sem o colombiano Marlos Moreno e Vitinho. Eles passaram por avaliação física, mas, inicialmente, devem ser aproveitados no último compromisso do Flamengo na temporada.

 

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.