Cesar Greco/Agência Palmeiras
Cesar Greco/Agência Palmeiras

No Palmeiras, Robinho quer aumentar a tristeza do Coritiba

Meia reencontra seu ex-clube pela primeira vez

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

11 Agosto 2015 | 16h00

Um dos destaques do Coritiba no ano passado, o meia Robinho reencontra sua ex-equipe nesta quarta-feira, no estádio Couto Pereira, e admite que a partida para ele é especial por tudo que viveu na equipe paranaense. Sua saída para o Palmeiras foi muito lamentada pelos torcedores, que o consideram o principal atleta da equipe, por isso, ele garante que lamenta ver a equipe na zona de rebaixamento, entretanto, precisa respeitar os fãs palmeirenses. 

Por isso, o jogador avisa que, embora torça para sua ex-equipe se reabilitar na tabela, que a reação tenha início depois do jogo com o Palmeiras. "Os caras estavam brincando comigo e falando para eu não chorar durante a coletiva. Vivi dois anos bons no Coritiba, mas só penso no Palmeiras agora. Preciso fazer um gol e espero que seja amanhã (quarta-feira). Se fizer, vou comemorar. A torcida do Palmeiras conta com meus gols e a torcida do Coritiba que fique triste. Espero fazer gols para eles ficarem tristes", disse, brincando. 

O Coritiba é o lanterna do Campeonato Brasileiro, com apenas 12 pontos, oito a menos que o Avaí, pior time dos que estão fora da zona de rebaixamento. "Fico triste, pois tenho um carinho especial e é um clube que me ajudou muito. Torço para sair dessa situação, que é bastante complicada. Torço para que deem a volta por cima, mas que não seja contra nós", projetou.

Robinho disse ainda que embora tenha saído como ídolo, não sabe como será recebido pelos torcedores. "Espero que o estádio esteja lotado e não seja vaiado. Se eu for, não tem problema. O Coritiba me ajudou muito no cenário nacional."

Outro que também vai reencontrar o ex-clube é o zagueiro Leandro Almeida. Entretanto, o defensor acabou saindo de uma forma um pouco mais complicada. Quando estava com seis jogos realizados no Brasileiro, pediu para não atuar mais até que sua situação fosse definida e os torcedores não reagiram bem, já que no passado o acusaram de tentar "forçar" uma saída para o Cruzeiro. 

Mais conteúdo sobre:
PalmeirasFutebolBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.