No Palmeiras, chega a vez dos jovens

Chegou a hora dos jovens no Palmeiras? A resposta será dada amanhã, às 21h40, no Barradão, pela Copa do Brasil. O time precisa golear o Vitória pela quase impossível diferença de seis gols. Os responsáveis pelos gols? Um trio formado nas divisões de base do clube: Anselmo, Vágner e Edmílson. Desespero? Não. Então por que lançar os jovens na fogueira? Zinho, Thiago Gentil e Muñoz estão com lesões musculares. Estão mesmo? Jair Picerni desconfia. E, ao mesmo, agradece. Há algum tempo que a comissão-técnica do Palmeiras vem elogiando a garra e disposição dos jovens, demonstrada tanto nos treinos quanto nos jogos-treino do time. Mas, ao mesmo tempo, se via de mãos atadas e com medo de bater de frente com a diretoria e torcida. Porém, a atitude dos medalhões do clube, de pedirem para não viajar para Salvador, alegando contusão, vai antecipar o que Picerni já queria implantar no clube. "Estou colocando os garotos, e se eles forem bem, irão em frente", garantiu o técnico. "Daqui a uns quatro ou cinco jogos, vocês verão um Palmeiras bem diferente," concluiu. Thiago tentou se justificar. "Pedi para ser poupado para não estourar de vez." Está com problemas na coxa esquerda. Mas a vitória é questão de honra. "Elevará nosso moral."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.