Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

No Paraná, júnior quase morre em campo

O atacante Sadi, da equipe de juniores do Cascavel Futebol Clube, sofreu uma parada cardiorrespiratória após a partida contra o Malutrom, em Curitiba, no último dia 20. Foi reanimado pelo fisioterapeuta do Malutrom, Juarez Telles Netto, com a respiração boca-a-boca, sendo posteriormente encaminhado ao Hospital São Vicente, onde passou por uma série de exames. Na quarta-feira, ele já ficou no banco de reservas em jogo do Campeonato Paranaense de Juniores. A parada cardiorrespiratória foi resultado de um trauma sofrido pelo jogador ao bater com sua cabeça contra a do goleiro Roberson no início do segundo tempo. Ele atuou normalmente até o fim do jogo, mas no vestiário começou a reclamar de dores de cabeça. Telles Netto foi chamado. "Ele dizia que estava doendo a cabeça, mas não respondia a estímulos", disse. Enquanto aguardava a ambulância, o atacante desmaiou. "Deu uma crise convulsiva e apagou." O fisioterapeuta iniciou a respiração boca-a-boca e ele retornou, mas logo depois voltou a desmaiar e a respiração desapareceu. "Fiz o procedimento novamente e ele voltou a respirar", disse Telles Netto.Nesse tempo a ambulância já estava a postos e o jogador foi levado ao hospital. "Foi fundamental estar ali", registrou o fisioterapeuta. "O atendimento foi feito em questão de segundos", observou o diretor do Cascavel, Moisés Amaral.

Agencia Estado,

28 de outubro de 2004 | 17h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.