Alex Silva / Estadão
Alex Silva / Estadão

No Rio, Santos luta contra problemas caseiros para subir na tabela

Divergências entre o técnico Cuca e o presidente Peres marcaram as vésperas do jogo diante do Vasco

O Estado de S.Paulo

01 Setembro 2018 | 07h00

O Santos que enfrenta o Vasco neste sábado, às 19h, no Maracanã, terá de superar problemas caseiros a fim de continuar sua luta para se afastar cada vez mais da zona do rebaixamento. Um deles está se prolongando: o descompasso entre o técnico Cuca e o presidente José Carlos Peres, nascido a partir de críticas do treinador à gestão.

Desde terça-feira, quando Cuca condenou o setor administrativo do clube pela escalação irregular de Carlos Sánchez na primeira partida diante do Independiente na Libertadores, técnico e dirigente trocam farpas. 

 Peres rebateu de maneira dura as críticas e afirmou que o técnico deveria cuidar do time enquanto ele e a diretoria se encarregariam da parte de gestão do Santos. Ontem, Cuca voltou à questão e desmentiu que tenha pedido desculpas pelas críticas.

“Eu não fiz críticas. Fui questionado por um colega de vocês, não lembro quem, sobre o tema, se faltava (profissionalismo). Disse que faltava e poderia melhorar e muito. Não tenho de pedir desculpa se esse é o meu sentimento”, repetiu Cuca. “Tenho de tentar melhorar o clube em que trabalho em todas as partes, principalmente dentro de campo”, completou. 

Cuca garante que está tudo bem entre ele e o presidente. Peres também tem dito que não há rusgas. “Conversei com o presidente hoje (ontem) pela manhã, ainda não tinha falado antes, e não quis ofender ninguém. É um sentimento para melhorar. Não é crítica para A, B ou C. É algo geral. Eu também devo melhorar”, afirmou Cuca.

Ambos sabem que a harmonia é importante num momento em que os jogadores ainda estão abalados pela maneira como foram eliminados da Libertadores. Além disso, eles terão de encarar um adversário que está em situação semelhante no Brasileiro – lutando com o rebaixamento – e terá o apoio da torcida. São esperadas hoje 50 mil pessoas no Maracanã.

Cuca reconhece a importância da partida como Vasco. “É muito importante se distanciar da parte debaixo. Isso cria confiança maior. E, se conseguirmos a vitória, pensamos em outros planos. O jogo fará diferença no planejamento: lutar contra o rebaixamento ou encostar no grupo que busca a Libertadores. Podem ser seis, sete ou até oito (classificados). Temos 18 jogos no Brasileiro. Temos de fazer o melhor”, disse. 

FICHA TÉCNICA

Vasco: Martín Silva; Lenon, Luiz Gustavo, Bruno Silva e Ramon; Desábato, Pikachu, Andrey, Raul e Wagner; Maxi López. Técnico: Alberto Valentim

Santos: Vanderlei; Victor Ferraz, Robson Bambu, Gustavo Henrique e Dodô; Alison, Sánchez e Pituca; Derlis González, Gabriel e Rodrygo. Técnico: Cuca 

Juiz: Braulio Machado (SC).

Local: Maracanã Horário: 19h

Na TV: PPV

Ao vivo: estadao.com.br/e/sfcvivo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.