No São Caetano, só Romário preocupa

Os jogadores do São Caetano estão treinando para enfrentar o Vasco da Gama, domingo, no estádio Anacleto Campanella, pela sétima rodada do Torneio Rio-São Paulo, com o pensamento apenas na reabilitação na competição. Ninguém fala em revanche, mesmo porque o time realiza campanha irregular.Até agora, o vice-campeão brasileiro ainda não se firmou na competição. Perdeu três jogos, venceu dois e empatou apenas uma vez. Com sete pontos, o Azulão é o último colocado entre os paulistas e, teoricamente, ameaçado pelo rebaixamento em 2003."Não começamos bem, mas vamos melhorar", promete o técnico Jair Picerni.O fato de terem perdido a final da Copa João Havelange em 2000 para o time carioca não passa pela cabeça dos jogadores, que acreditam que aquele confronto faz parte do passado. "Aquele título ficou engasgado, mas já faz parte do passado. Mesmo que consigamos a vitória, o título não virá para São Caetano. Além disso, já ganhamos deles em São Januário no ano passado", disse o zagueiro Daniel, um dos remanescentes daquela final.Se o São Caetano garante que enfrenta o Vasco sem preocupação com uma possível revanche, o mesmo não se pode dizer em relação ao atacante Romário, vice-artilheiro do Rio-São Paulo, com sete gols marcados, um a menos que Dodô, do Botafogo. "O Romário é sempre um jogador que preocupa. Se deixarmos o baixinho livre só teremos o trabalho de buscar a bola no fundo da rede", alertou o zagueiro Dininho que, ao lado de Daniel, terá a difícil missão de parar o atacante vascaíno.A comissão técnica comandou treinos em dois períodos nesta quarta-feira, mas a definição do time só deve sair no coletivo desta sexta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.