AFP/Alexey Nikolshy
AFP/Alexey Nikolshy

No sorteio da Copa, Maradona beija Pelé e diz que Argentina tem de jogar mais

Astro argentino beijou o Rei do Futebol antes do sorteio da Copa da Rússia

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2017 | 15h05

Antes do início do sorteio dos grupos da Copa da Rússia, realizado nesta sexta-feira, em Moscou, o ex-craque Diego Armando Maradona protagonizou um momento histórico. Quando encontrou Pelé, que estava em uma cadeira de rodas, o argentino deu um beijo na testa do maior jogador do futebol, que estava numa cadeira de rodas. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, presenciou o momento ao lado de convidados ilustres.

+ Baixe a tabela da Copa do Mundo da Rússia

Depois de anos de divergências, nos quais trocaram declarações pouco amistosas, os dois maiores astros do futebol, convidados especiais da cerimônia, pareceram deixar para trás todas as diferenças. O encontro foi divulgado no twitter oficial da Copa, saudando a presença de Pelé no sorteio - o brasileiro convive com dores no quadril. 

Durante a cerimônia, Maradona não perdeu o tom crítico ao comentar as chances da Argentina na Copa do Mundo da Rússia. O ex-craque participou do sorteio do Mundial e analisou a chave de seu país, o Grupo D, formado por Islândia, Croácia e Nigéria.

“É um grupo acessível para a Argentina pelas equipes que foram sorteadas. Mas a Argentina tem de melhorar, não pode jogar tão mal como vem fazendo”, afirmou Diego Armando Maradona, ex-craque argentino.

Maradona fez referência ao drama que a Argentina viveu para se classificar nas Eliminatórias. A equipe conseguiu a vaga apenas na última rodada, quando Messi fez os três gols da vitória sobre o Equador, em Quito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.