Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

No sufoco, Palmeiras ganha do Fluminense e 'desencanta' em casa

Primeira vitória na arena no Brasileirão sai com gol no finalzinho

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

14 de junho de 2015 | 18h09

Foi no sufoco, jogando mal, mas finalmente saiu a primeira vitória do Palmeiras no Allianz Parque no Campeonato Brasileiro. Por ironia do destino, no dia da estreia de Alecsandro, aquele que iria resolver todos os problemas, quem garantiu a vitória por 2 a 1 sobre o Fluminense foram os já conhecidos Rafael Marques e Cristaldo.

O Palmeiras, comandado pelo interino Alberto Valentim, foi para o jogo com a formação tática bem parecida com a que Oswaldo de Oliveira escalava. A principal diferença acabou sendo a presença de Cleiton Xavier, que só não teve uma atuação abaixo da crítica na primeira etapa, porque saiu dos pés dele a cobrança de escanteio para o gol de Rafael Marques. Foi o que lhe salvou.

Como se tornou rotineiro, o Palmeiras ficou mais com a bola no pé e não tinha ninguém para chutar. Dudu, Zé Roberto, Rafael Marques, todos tocavam, lançavam, mas faltava a finalização. E com o passar do tempo, nem os passes certos estavam mais acontecendo.

O Fluminense entrou mais cauteloso, com três volantes e esperando o erro do adversário para sair ao ataque. Isso aconteceu aos 16 minutos. Magno Alves recebeu passe na esquerda, driblou Victor Ramos com facilidade e cruzou, a bola desviou e ficou na medida para Jean chutar rasteiro e abrir o placar na arena.

Nem com o gol sofrido a postura mudou. Tudo parecia que caminharia para um fim de primeira etapa de vaias e decepção, mas no último lance, um fio de esperança. Cleiton Xavier cobrou escanteio e aos 46, Rafael Marques desviou de cabeça e empatou. Justamente os dois que estavam entre os piores em campo.

Zé Roberto, outro que também pouco ou nada fez na primeira etapa, foi substituído no intervalo por Alecsandro, o jogador que muitos acreditavam que era o que faltava ao time.

De fato, a postura do Palmeiras mudou no segundo tempo. Toques rápidos, movimentação e uma referência na área. Nem parecia o mesmo time da primeira parte do jogo. Alecsandro, mostrando que quer ser querido pelos torcedores, pediu para a torcida gritar e não faltou apoio.

Pela esquerda, Dudu e Egídio chegaram diversas vezes na linha de fundo, mas o Fluminense se fechou ainda mais. Aos 14, Magno Alves cometeu falta dura em Gabriel e foi expulso, fazendo Enderson Moreira fechar ainda mais a equipe.

Até que aos 44, Gum colocou a mão na bola, foi expulso. Egídio bateu falta, Cavalieri rebateu e no rebote, Cristaldo desviou, a bola bateu na trave e entrou. E assim Marcelo Oliveira vai chegar em um time que tirou um peso das costas.

O triunfo levou o Palmeiras aos nove pontos, em 12º lugar no Brasileirão, além de deixar o rival Santos na zona de rebaixamento. Já o Fluminense segue com 11 pontos e caiu para o oitavo lugar.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 2 x 1 FLUMINENSE

PALMEIRAS - Fernando Prass; Lucas, Victor Ramos, Vitor Hugo e Egídio; Gabriel, Arouca (Cristaldo), Zé Roberto (Alecsandro), Cleiton Xavier (Robinho) e Dudu; Rafael Marques. Técnico: Alberto Valentim

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Renato, Gum, Antonio Carlos (Henrique) e Giovanni; Edson, Jean, Pierre, Gerson (Lucas Gomes) e Vinicius; Magno Alves. Técnico: Enderson Moreira

GOLS - Jean, aos 16, Rafael Marques, aos 47 do 1º Tempo; Cristaldo, aos 45 do 2º Tempo

ÁRBITRO - Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)

CARTÕES AMARELOS - Antônio Carlos, Pierre, Jean, Marcos Júnior, Gum, Renato e Diego Cavalieri

CARTÕES VERMELHOS - Magno Alves e Gum

PÚBLICO - 26.181 pagantes

RENDA - R$ 1.637.815,00

LOCAL - Allianz Parque, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.