No sufoco, Corinthians passa pelo Fortaleza

O Corinthians não terá de fugir dos torcedores indo para Belo Horizonte. Depois dos vexames seguidos, o time conseguiu a façanha de empatar nesta quarta-feira no Ceará com o Fortaleza por 1 a 1 e se classificou para as quartas-de-final da Copa do Brasil ? enfrentará o Vitória. Com o resultado, Oswaldo de Oliveira sobreviveu no cargo de técnico. Domingo é o Atlético Mineiro, no Mineirão, pelo Brasileiro. Ameaçado de demissão depois dos seguidos vexames, Oswaldo apostou nos seus jogadores mais experientes. Entraram Rogério e Marcelo Ramos e foram despachados Coelho e Jô para o banco. A equipe também se livrou de Rodrigo, que nada conseguiu produzir de útil desde que foi contratado. O treinador equilibrou o fragilizado time com o vigor de Wendel e Fabinho na intermediária. Os empolgados torcedores cearenses lotaram o Castelão para apoiar a equipe que estreava Hélio dos Anjos como treinador. Aproveitando-se dos traumas corintianos, o Fortaleza começou melhor. O time usava triangulações e chutes de longe. Fábio Costa foi obrigado a fazer grandes defesas em chutes dos rodados Lúcio e Aguinaldo. Aos poucos, o Corinthians foi saindo da sua intermediária e passou a atacar. Embora faltasse convicção nos arremates, era um alívio ver os zagueiros adversários preocupados com a movimentação de Marcelo Ramos e as entradas de surpresa de Piá e até Renato. O primeiro tempo foi igual, equilibrado. Um progresso para o time paulista. ?Estamos bem. Só precisamos melhorar na finalização?, dizia, feliz, Marcelo Ramos.A sua felicidade iria aumentar no início do segundo tempo. Aos 10 minutos, Gil fez excelente jogada pela linha de fundo e cruzou na cabeça de Marcelo Ramos: 1 a 0, Corinthians. Só que cinco minutos depois o Fortaleza reagia. Depois de uma falta inexistente de Ânderson, a bola foi na cabeça de Ronaldo Angelim, que ajeitou para Rinaldo. Ele driblou como quis Váldson e chutou forte: 1 a 1. O maior mérito do Corinthians foi o equilíbrio. Oswaldo melhorou a marcação na intermediária. Sua intenção era proteger a área. O Fortaleza, pressionado, buscou a virada. Mas o time errava em forçar pelo meio, facilitando a missão corintiana. Ânderson e Fernandão foram expulsos por trocarem empurrões. Para aumentar o tom de drama, o árbitro Antônio Hora anulou corretamente um gol do Fortaleza aos 47 minutos. Ronaldo Angelim ajeitou com o braço antes de chutar para as redes. Fábio Costa ainda salvou arremate de Daniel aos 48. O Corinthians estava classificado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.