No Sul, o encontro Mano Menezes e Felipão pelo Campeonato Brasileiro

Ex-técnicos da seleção brasileira, gaúchos comandam Corinthians e Grêmio neste domingo. Time paulista briga pela liderança  

Vítor Marques, O Estado de S.Paulo

24 de agosto de 2014 | 05h00

O jogo entre Grêmio e Corinthians, às 16 horas, em Porto Alegre, coloca em lados opostos Luiz Felipe Scolari e Mano Menezes, dois ex-treinadores da seleção brasileira. Gaúchos, ambos têm histórico vencedor no clube do Sul. Eles são os personagens do confronto na Arena Grêmio pelo Campeonato Brasileiro. E vivem momentos diferentes na carreira e em seus clubes.

Felipão, além de tentar reerguer sua equipe, apenas a 10.º colocada na tabela, ainda tem de lidar com o fardo dos “7 a 1”. “Sou Grêmio, estou tranquilo. Não adianta ficarem enchendo o saco”, afirmou, após a perder para o Cruzeiro, quinta-feira, no Mineirão, justamente o palco da maior vergonha da história da seleção brasileira.

Mano, antecessor de Felipão na seleção, já passou pelo purgatório depois de ser demitido, em 2012, pela CBF. E pelo Corinthians, ele já passou a pior fase, aquela de reestruturação da equipe. A briga agora é pelo título Brasileiro – o time é o 3.º colocado, com 31 pontos.

Felipão já venceu uma Libertadores pelo Grêmio e virou ídolo dos torcedores. Esse foi o principal motivo de ele retornar ao trabalho neste momento da carreira.

Mano assumiu o Grêmio em condições adversas e tirou o time da Série B, um caminho que ele faria novamente pelo Corinthians, em 2008. Por isso o técnico guarda boas recordações do clube gaúcho.

“Contra o Grêmio, nunca será um jogo normal porque faz parte da minha história. Vivemos coisas intensas, entre elas a final da Série B nos Aflitos. Existe um respeito. Fora isso, o jogo é Grêmio contra o Corinthians”, afirmou o treinador.

O Corinthians tem a seu favor, além do ótimo resultado diante do Goiás (5 a 2), o bom retrospecto como visitante neste Campeonato Brasileiro. Está invicto: em sete jogos, venceu três e empatou quatro.

O sistema defensivo seguro e a marcação no meio de campo são algumas das marcas do Corinthians. Ao menos quando joga fora de casa. A diferença é que no último jogo o time viveu uma nova realidade.

Contra o Goiás, a defesa, agora formada por Anderson Martins e Gil, falhou. Mas em compensação o ataque funcionou. Jamais o time havia feito cinco gols neste Brasileiro.

NEM TÃO AO ATAQUE

Hoje, como foi na goleada de quinta-feira, Renato Augusto deve começar jogando na vaga de Petros, apesar de o clube ter obtido efeito suspensivo. A postura do time, no entanto, será diferente.

Mano Menezes sabe que o Grêmio é mais perigoso que o Goiás. Uma alteração possível é a entrada de Luciano, autor de três gols na vitória por 5 a 2. Romero sairia do time. Com essa formação, Jadson retorna à faixa central e a equipe volta a jogar no 4-2-3-1 e não no 4-4-2.

Guerrero está garantido no comando do ataque. E o uruguaio Lodeiro fica como opção no banco de reservas. Se quiser continuar na cola do Cruzeiro, os três pontos são essenciais ao Corinthians hoje no Sul.

VOLTA

No Grêmio, Felipão pode contar com o retorno do atacante argentino Barcos, que ficou fora dos últimos dois jogos por causa de lombalgia. A Arena Grêmio deve receber bom público, apesar do momento ruim do time gaúcho.

FICHA TÉCNICA

Grêmio: Marcelo Grohe; Pará, Werley, Rhodolfo e Zé Roberto; Ramiro, Fellipe Bastos, Riveros (A. Ruiz) e Luan; Dudu e Barcos. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Corinthians: Cássio; Fagner, Anderson Martins, Gil e Fábio Santos; Ralf, Elias, Renato Augusto e Jadson; Luciano (Romero) e Guerrero. Técnico: Mano Menezes.

Juiz: Heber Roberto Lopes (SC)

Local: Arena Grêmio

Horário: 16 horas

Transmissão: Globo e Band

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.