No Sul, Vasco tenta acabar com síndrome de empates

Time que mais empatou no Campeonato Brasileiro, ao lado do Palmeiras, o Vasco está incomodado com a fama de rei dos resultados iguais - são 11 no total - e quer acabar com isso logo. Mas o adversário deste domingo não é o mais indicado para encerrar essa síndrome: a equipe carioca enfrenta o Internacional, às 16 horas, no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre. E ainda não terá os meias Felipe e Carlos Alberto, ambos contundidos.

AE, Agência Estado

19 de setembro de 2010 | 08h13

"O Vasco está jogando melhor fora de casa. A equipe está sentindo a pressão, pois temos jogadores jovens no elenco. De repente, pode ser bom (atuar longe de São Januário). Mesmo assim, precisamos vencer", disse o meia-atacante Zé Roberto.

Nos últimos quatro jogos longe do Rio, o Vasco conquistou oito pontos, com duas vitórias e dois empates. "Quando a gente empata em casa, precisa conquistar uma vitória fora. Será um jogo muito difícil, mas o Vasco está precisando muito vencer e vamos em busca disso", argumentou o volante Fellipe Bastos.

Suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o zagueiro Titi está fora do jogo. Fernando é o mais cotado para substituí-lo. No ataque, Nunes, em busca da melhor forma física, não vai jogar. Com isso, Rafael Coelho deve ser mantido ao lado de Éder Luís.

"Não vou abaixar a cabeça", prometeu Rafael Coelho, que perdeu um pênalti no jogo da última quinta-feira, em que o Vasco não saiu do empate por 1 a 1 com o Avaí, em São Januário.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato BrasileiroVasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.