Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Nobre apoia controle de acesso nas ruas da arena nos jogos do Palmeiras

'A ação foi extremamente positiva', afirma presidente do Palmeiras

Gonçalo Junior, Estadão Conteúdo

07 de novembro de 2016 | 18h09

Paulo Nobre, presidente do Palmeiras, apoia o bloqueio de acesso que a Polícia Militar vem realizado nas ruas próximas ao estádio Allianz Parque. A medida, que começou no jogo contra o Sport, foi realizada também no domingo, na vitória sobre o Inter, e será repetida em todos os jogos e shows na arena. "Tudo o que é para o bem do futebol, contra a violência, tem o apoio do Palmeiras", afirmou o presidente no Palestra Itália na tarde desta segunda-feira durante a inauguração do busto que homenageia o ex-volante Dudu.

Para o dirigente, os principais problemas no entorno do estádio são a falta de segurança e a comercialização de produtos piratas. "A ação foi extremamente positiva e eu, desde o início do mandato, sempre cobrei da Polícia Militar e do Ministério Público que tomassem alguma atitude em relação ao entorno do Allianz para que não virasse um ponto de furtos. É enorme a quantidade de pessoas que vendem produtos piratas do Palmeiras na grade do próprio Palmeiras. Tudo isso é péssimo para o clube, o clube não ganha absolutamente nada com isso, e o torcedor que quer fazer festa ainda acaba sendo furtado, passando por situações desagradáveis", completou o presidente.

De acordo com a PM, a ação não se trata de controle de acesso, mas sim de uma "medida de segurança". Ainda de acordo com a polícia, "a medida é resultado da coordenação de esforços entre Polícia Militar, Subprefeitura da Lapa, CET, SPTrans e Guarda Civil Metropolitana".

O dirigente faz uma ressalva para que o controle de acesso não prejudique os sócios do clube e avalia que o controle precisa ser lapidado. "É uma situação nova e precisa ser lapidada para que o sócio do Palmeiras não se prejudique quando vier ao clube e não ao jogo. O torcedor comum, às vezes, pode não estar com o ingresso na mão. Mas as pessoas precisam se organizar porque essa é a tendência de acontecer no entorno do Allianz nos próximos jogos porque deu muito certo em relação a coibir toda a parte ruim que falei. Mas eu entendo que precisa ser lapidado", completou o presidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.