Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Nobre diz que árbitros entram pressionados em jogos do Flamengo

Presidente do Palmeiras faz duras críticas a arbitragem e clube carioca

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

14 Outubro 2016 | 18h31

O presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, resolveu entrar na polêmica sobre a atuação do árbitro Sandro Meira Ricci no clássico entre Fluminense e Flamengo, na quinta-feira, e fez duras críticas a arbitragem. Para o palmeirense, os árbitros têm se sentido pressionados em jogos do Flamengo.

"Não tenho dúvida que um árbitro do calibre do Sandro estava se sentindo muito pressionado. Quero saber que ser humano não fica pressionado antes de jogos do Flamengo? É impossível. A cada escala há crítica, colocam em dúvida e fazem pressão. Ele ter permitido aquela balbúrdia, é claro que foi por pressão. Experiência não falta, e honesto ele é. Se não foi pressão, o que foi?", indagou o dirigente, claramente irritado com a situação.

Nobre abriu a coletiva afirmando que o campeonato não pode ser decidido fora de campo. A reclamação se dá pelo fato do árbitro ter anulado o gol marcado pelo Fluminense após cerca de 13 minutos da partida ter ficado parado e existe a suspeita de que houve interferência externa na marcação e que a anulação só ocorreu após alguém ver as imagens da jogada pela TV e avisar a arbitragem. 

 

"Estamos aqui para nos manifestar sobre o que chegou a um ponto inaceitável. O que aconteceu ontem (quinta-feira) no Rio de Janeiro pode manchar o campeonato, que começa a ser decidido fora de campo. Tivemos o trio de arbitragem mais experiente do Brasil e não dava para ter arbitragem mais experiente do que tivemos, só que os árbitros são seres humanos e todo ser humano é sujeito a pressão. Não é possível mais aceitar esse nível de pressão que estão fazendo no Brasileiro".

 

O dirigente aproveitou para lembrar de outras situações em que ele vê pressão nos bastidores para prejudicar o Palmeiras. "A pressão que foi feita sobre o América-MG. O América-MG tinha o direito de vender o mando e esquecem que o Santos também vendeu o seu mando contra o Flamengo? Então que se proíba para todo mundo. O jogo entre Flamengo e Palmeiras tinha mando do Flamengo. O Palmeiras não pediu carga de ingressos porque não pede desde 2013. Pela incompetência do Flamengo, sai uma briga, e o Palmeiras é mais penalizado que o Flamengo. No jogo de volta, o Flamengo diz que, por não ter pedido carga de ingresso, tudo o que pudesse acontecer seria responsabilidade do Palmeiras. A diretoria deles bate boca com a nossa torcida, e o Palmeiras é quem acaba sendo penalizado novamente".

 

O diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, esteve ao lado de Nobre durante a entrevista coletiva e afirmou que, apesar das reclamações, o clube não estava protestando contra os árbitros.

 

"Deixo claro que o Palmeiras não está aqui reclamando de arbitragem. O Palmeiras já foi prejudicado e fez o correto. Foi na CBF, reclamou e esperou a resposta. Há uma pressão muito grande de fora. De ontem para hoje, recebi três ligações de diretores, presidentes, de clubes que vão jogar contra o Flamengo e estão preocupados", assegurou, sem citar nomes.

 

Com a última rodada, o Palmeiras se manteve na liderança com 61 pontos, mas viu o Flamengo se aproximar com 60 pontos. O Atlético-MG chegou aos 56 e também diminuiu a diferença.

Notícias relacionadas
Mais conteúdo sobre:
Palmeiras Futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.