Alex Silva/ Estadão
Alex Silva/ Estadão

Nobre: 'As trocas são pensando no melhor para o clube'

Presidente palmeirense diz que resultados ruins determinaram saída

DANIEL BATISTA, Estadão Conteúdo

09 de junho de 2015 | 18h09

Em uma concorrida entrevista coletiva, o presidente Paulo Nobre afirmou nesta terça-feira disse que o motivo da saída do técnico Oswaldo de Oliveira foi a sequência de resultados ruins que atrapalharam os objetivos da equipe, que é brigar pelas primeiras posições da tabela. E confirmou que Alberto Valentim comanda o Palmeiras contra o Fluminense, domingo, no Allianz Parque.

"Nós chegamos a conclusão que os resultados estavam se afastando dos objetivos traçados e chegamos a conclusão que o melhor seria a troca do comando técnico", disse o presidente. "O Palmeiras passa a ser dirigido pelo Valentim. Ele comanda a equipe contra o Fluminense. Ele é um auxiliar com experiência e já demonstrou que pode comandar a equipe", explicou o dirigente, que deixou claro que Alberto será apenas interino e que o clube está no mercado atrás de um novo treinador.

Nobre ainda disse que o Palmeiras tem elenco forte, em condições de ser campeão, e que a diretoria decidiu que o melhor seria agir neste momento. "Troca de comando no futebol não é uma coisa positiva e que deve ser evitada. Porém, a diretoria se pauta pela ação, não pela omissão. A gente pode errar agindo, mas não omitindo. Todas as trocas são pensando no melhor para o clube. Temos um bom elenco, forte e preparado para a disputa do Brasileiro", avaliou.

O dirigente foi questionado sobre se as responsabilidades quanto aos resultados ruins do Palmeiras recaiam apenas sobre o treinador. Mas desconversou. "Se eu fosse apenas um torcedor, responderia fácil. Mas, como presidente, digo que é uma coisa interna. Posso te dizer que tenho respeito grande pelo treinador, pessoal e profissionalmente. Gostaria de manter a relação pela pessoa que ele é", declarou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.