Nome de Cerezo ganha força no São Paulo

Enquanto Muricy Ramalho desfruta das férias no Guarujá, sem desgrudar do celular, à espera do tão aguardado convite para comandar o São Paulo ? no lugar de Paulo Autuori, que vai dirigir o Kashima Antlers ?, lá no Japão Toninho Cerezo já deve saber que corre por fora nessa disputa e pode ser a grande surpresa da diretoria tricolor. O assunto, no entanto, só será tratado a partir de segunda-feira, quando o presidente Marcelo Portugal Gouvêa e o diretor de futebol Juvenal Juvêncio retornarem das férias. Por enquanto, os dois só pensam em curtir as últimas horas de 2005. ?Não temos pressa para definir o nome do novo técnico. Temos que tomar a decisão com tranqüilidade. Ainda não fizemos contato com nenhum treinador e nem discutimos o assunto ainda. Só conversaremos sobre isso em janeiro?, avisou Juvenal, em nota no site oficial do São Paulo. Aparentemente, a contratação de Muricy Ramalho é apenas uma questão de tempo. O São Paulo sonha com Muricy e Muricy quer trabalhar na Capital para ficar mais próximo da família. Tudo parece perfeito, já que o São Paulo chegou a ir atrás do treinador quando perdeu Emerson Leão para o futebol japonês, após a conquista do Campeonato Paulista. ?O Muricy é um técnico que agrada. Já tentamos contratá-lo por duas vezes há algum tempo. Vou me reunir com o Juvenal para decidirmos o nome?, confirmou o presidente Marcelo Portugal Gouvêa. Apesar de tudo jogar a favor, o superintendente de futebol Marco Aurélio Cunha já deixou claro o que pode atrapalhar a negociação: os valores exigidos por Muricy. ?É a primeira opção desde que não peça um caminhão de dinheiro?, alertou. E é aí que Toninho Cerezo entra na história. Se isso realmente acontecer ? e frustrar mais uma vez o sonho da diretoria são-paulina ?, Juvenal Juvêncio não terá vergonha em ligar para o Japão e convocar Toninho Cerezo, um dos heróis nas conquistas do bicampeonato mundial, em 92 e 93. Ele é a única opção com que o São Paulo trabalha, caso as coisas com Muricy dêem erradas. ?Por enquanto, são só esses dois: o Muricy e o Cerezo?, cravou Juvenal, acabando de vez com a possibilidade de ir atrás de técnicos que não estão em evidência. As reuniões da próxima semana também deverão por um fim à novela da renovação com Amoroso, além de tratar de reforços. Mesmo sem ter acertado com o São Paulo, Muricy Ramalho falou sobre os possíveis reforços do São Paulo. A começar pela lateral direita, com a saída de Cicinho. ?O Anderson Lima foi meu jogador no São Caetano e o grande responsável pelo título (do Paulistão de 2004). Hoje em dia, a bola parada é muito importante no futebol e ele resolve, tanto na cobrança de faltas como de escanteios?, elogia. Mas, se ao invés de Anderson Lima, o São Paulo acertar com Maurinho, do Cruzeiro? ?Com ele tem de jogar no 3-5-2. O Maurinho é ala, quase ponta. Joga do meio de campo para frente?, avisa. Muricy Ramalho também não estaria disposto a colocar em prática um sonho do torcedor são-paulino: um trio de atacantes, ainda mais após a chegada de Aloísio. ?Acho difícil Grafite, o Aloísio e o Amoroso jogarem juntos. Só se for no 3-5-2 e o Amoroso estiver recuado para fazer o número um. Mas acho que o time fica com os setores muito distantes?, explicou o técnico vice-campeão brasileiro.

Agencia Estado,

30 de dezembro de 2005 | 18h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.