Norte-coreano apoia candidatura da Coreia do Sul à Copa

Atacante Jong Tae Se acredita que o Mundial de 2022 contribuiria para promover a paz entre os países

AE-AP, Agência Estado

09 de abril de 2010 | 10h44

O atacante norte-coreano Jong Tae Se disse que apoia a candidatura da Coreia do Sul para sediar a Copa do Mundo 2022 e defendeu a possibilidade de alguns jogos serem realizados no seu país. Além disso, defendeu que alguns dos jogos fossem realizados na Coreia do Norte.

Jong, que defende o Kawasaki Frontale do Japão, é chamado pelos torcedores de "Rooney do Povo" por ter um estilo de jogo parecido com o do atacante inglês. "Como um jogador da seleção da Coreia do Norte, eu apoio a candidatura da Coreia do Sul para a Copa do Mundo de 2022", disse.

Jong, que nasceu e cresceu no Japão, mas foi educado no sistema norte-coreano, além de ter um passaporte do país, considera que a realização do Mundial na península dividida contribuiria para a paz entre as Coreias do Norte e do Sul. Especialmente se, como considerado pelo comitê da candidatura, dois ou três jogos pudessem ser realizados em Pyongyang, capital da Coreia do Norte.

"Pode não ser fácil uma união política, mas o esporte pode fazer as pessoas se unirem e contribuírem para a paz mundial, no Leste da Ásia e na península coreana", disse Jong, que é popular na Coreia do Sul e aparece em propagandas de comercial ao lado de Park Ji-sung, do Manchester United.

Estados Unidos, Austrália, Inglaterra, Japão, Rússia, além das candidaturas conjuntas de Espanha e Portugal e de Holanda e Bélgica tentam receber os Mundiais de 2018 ou 2022. Catar e Coreia do Sul se candidataram apenas para a Copa de 2022. As sedes dos dois Mundiais serão definidos pela Fifa no dia 2 de dezembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.