Nathalia Aguilar/EFE
Nathalia Aguilar/EFE

Fluminense erra dois pênaltis, perde para o Olimpia e se despede da Libertadores

Brasileiros não foram bem, sentiram a pressão do estádio lotado e acabaram não conseguindo a vaga na fase de grupos do campeonato

Redação, Estadão Conteúdo

16 de março de 2022 | 23h55

A confiança virou tristeza no Fluminense, que perdeu para o Olimpia (PAR) no tempo normal, por 2 a 0, e depois nos pênaltis, por 4 a 1, no estádio Defensores Del Chaco, em Assunção, no Paraguai, e foi eliminado na terceira fase da Copa Libertadores.

O time brasileiro entrou em campo com ótima vantagem após ter vencido o confronto de ida, por 3 a 1, no Engenhão. Contudo, nesta quarta-feira os brasileiros não foram bem, sentiram a pressão do estádio lotado e acabaram não conseguindo a vaga na fase de grupos do campeonato.

O Fluminense não fez um bom primeiro tempo, mas ainda assim começou o jogo assustando o Olimpia. Aos sete minutos, Arias cobrou falta na área e a bola sobrou para o zagueiro David Braz, que completou para as redes. Apesar da comemoração, o árbitro viu toque no braço do jogador e anulou o gol.

A partir disso o Olimpia ficou com a posse de bola e encurralou o Fluminense pelo primeiro gol. Aos 18 minutos, Gamarra ficou com a bola dentro da área e finalizou para ótima defesa de Fábio, que espalmou pela linha de fundo. Depois, aos 29, Salcedo também chutou e o goleiro defendeu.

Melhor em campo, o time paraguaio abriu o placar aos 35 minutos, quando Recalde desviou de cabeça e levou os torcedores a loucura nas arquibancadas. Vantagem merecida para o time que mais procurou o ataque no primeiro tempo.

Antes do intervalo, enfim o Fluminense chegou com perigo em chute de Germán Cano, aos 41, mas que foi nas mãos do goleiro Olveira.

Na etapa final, o Olimpia insistiu ainda mais no ataque e o Fluminense passou maus bocados. Aos 11, Gamarra chutou cruzado e David Braz afastou o perigo. Aos 13 foi a vez de Salcedo pegar sobra na entrada da área e obrigar Fábio a fazer defesa.

Tímido no ataque, o Fluminense teve chance clara de empatar o jogo aos 20 minutos. Willian Bigode puxou contra-ataque e serviu Gabriel Teixeira. O meia ficou cara a cara com o goleiro e finalizou nos pés do camisa 1.

Se a situação já estava difícil em campo, aos 34 minutos ficou ainda pior, já que Nino errou feio na saída de bola e fez falta em Paiva antes do adversário entrar livre na área, recebendo o cartão vermelho direto do árbitro.

Com um homem a mais, o Olimpia teve mais espaço e encontrou o segundo gol aos 43 minutos. Após ótima defesa de Fábio, Derlis González chutou cruzado e Paiva completou para as redes, levando assim o confronto para os pênaltis.

Nas cobranças de pênalti, o Fluminense desperdiçou as duas primeiras com Willian Bigode e Felipe Melo. Enquanto o Olimpia converteu todas as cobranças e deixou o campo classificado.

FICHA TÉCNICA

OLIMPIA (PAR) 2 (4) X (1) 0 FLUMINENSE

OLIMPIA (PAR) - Olveira; Otálvaro, Salcedo, Alcarez e Gamarra (Walter González); Marcos Gómez (Luis Zárate), Ortiz, Alejandro Silva (Paiva) e Fernando Cardozo (Quintana); Derlis González e Recalde (Camacho). Técnico: Júlio Cáceres.

FLUMINENSE - Fábio; Nino, Felipe Melo e David Braz; Calegari (Pineida), André, Martinelli e Cristiano; Luiz Henrique (Willian), Germán Cano (Luccas Claro) e Arias (Gabriel Teixeira). Técnico: Abel Braga.

GOLS - Recalde, aos 37 minutos do primeiro tempo. Paiva, aos 43 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Roberto Tobar (CHI).

CARTÕES AMARELOS - Olveira, Salcedo, Marcos Gómez, Ortiz, Paiva e Fernando Cardozo (Olimpia); David Braz e Cristiano (Fluminense).

CARTÃO VERMELHO - Nino (Fluminense).

PÚBLICO E RENDA - Não divulgados.

LOCAL - Estádio Defensores Del Chaco, em Assunção (PAR).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.