Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Nos pênaltis, São Paulo bate o Vasco e ganha o tetracampeonato na Copa SP

Time tricolor sai vencendo por 2 a 0, leva o empate no 2ª tempo, mas é melhor nas penalidades e conquista o título

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

25 Janeiro 2019 | 17h43

Se em 2018 Gabriel Novaes e Antony eram reservas e entraram no final da derrota do São Paulo para o Flamengo, na decisão da Copa São Paulo de Futebol Júnior daquele ano, desta vez começaram como titulares e foram fundamentais para garantir ao tricolor sua quarta conquista da Copinha, em cima do Vasco, nos pênaltis. Os outros títulos do clube foram em 1993, 2000 e 2010. A conquista ocorreu no dia que o clube festeja 89 anos de história.

A dupla brilhou em toda a competição e teve sua trajetória coroada com um gol cada no empate por 2 a 2 no tempo normal. Quem também mostrou sua qualidade foi o goleiro Thiago Couto, reserva no ano passado e que, além de boas defesas, pegou duas cobranças dos vascaínos (outra foi para fora) e garantiu o título para o São Paulo, que ganhou de 3 a 1 nas cobranças. "O sentimento é inexplicável, é muita felicidade. O título veio em um momento muito importante, pois no ano passado fomos vice", lembrou o goleiro.

Gabriel Novaes marcou seu décimo gol no torneio enquanto Antony deu seis assistências, uma delas para o gol do companheiro ontem, e ainda fez quatro gols na Copinha. "Significa muita coisa. Estou muito feliz pela campanha da equipe e pelo título. Estou buscando meu espaço", disse Antony. Seu companheiro Gabriel Novaes completou. "É uma emoção muito grande. Ano passado tivemos um vice-campeonato, mas tivemos união."

Antes de entrar em campo, quase todos os jogadores do elenco do São Paulo rasparam a cabeça para homenagear a torcedora Larissa, de 6 anos, que luta contra um câncer no cérebro. Ao lado da menina, eles posaram para foto e sinalizaram a letra "L" com as mãos. "Olha só quem chegou junto com o time aqui no estádio! A pequena guerreira Larissa foi homenageada pelos garotos, que rasparam a cabeça. Cena linda!", escreveu o clube nas redes sociais.

As duas equipes chegaram invictas à decisão e com boas campanhas. O Vasco, motivado por ter eliminado o Corinthians, queria fazer mais uma nova vítima paulista, mas seus principais jogadores, como Lucas Santos, João Pedro e o artilheiro Tiago Reis, estavam bem marcados e o time carioca tinha muita dificuldades para criar bons lances.

O JOGO

Empurrado por sua torcida, que lotou o Pacaembu, o São Paulo tomou a iniciativa do duelo desde o início, mas também tinha problemas para chegar à meta do goleiro Alexander. Aos 16, Gabriel Novaes teve boa chance em jogada individual, limpou seus marcadores, mas na hora do chute não conseguiu mandar a bola para a rede.

Até que aos 38, em uma linda jogada de Antony pelo lado direito, veio o cruzamento pelo alto, Gabriel Novaes se livrou em velocidade de seu marcador e cabeceou sem chances para Alexander. O gol levantou a torcida no estádio e deu tranquilidade para o time do Morumbi ir para o vestiário com a vantagem parcial no marcador.

Na etapa final, logo aos 7 minutos Rodrigo Nestor deu um lindo lançamento para Antony, que ganhou na velocidade de Gabriel Norões, limpou seu marcador e chutou para ampliar a vantagem do São Paulo. Festa grande no Pacaembu da torcida tricolor debaixo de muita chuva, que fez com que a segunda etapa fosse mais brigada.

Apesar da desvantagem, o Vasco foi para cima e perdeu três chances incríveis na sequência: com Tiago Reis, aos 9, com Caio Lopes, aos 11, e com o próprio Tiago três minutos depois. Em todas o goleiro Thiago Couto esteve atento e segurou, e também contou com um pouco de sorte para defender as finalizações dos cariocas.

Muitos jogadores sentiram o cansaço e os técnicos mexeram nos times. No Vasco, a intenção era buscar o gol enquanto do outro lado o técnico Orlando Ribeiro recuou mais o time para segurar a pressão dos cariocas. Aos 30, em uma falta da entrada da área, Lucas Santos bateu com perfeição e diminuiu.

Antony e Gabriel Novaes deixaram o time e o São Paulo perdeu sua grande força ofensiva. O Vasco manteve o ímpeto e aos 38 o artilheiro Tiago Reis se recuperou dos gols perdidos e deixou tudo igual, após receber sozinho o cruzamento de Riquelme e mandar para as redes. A torcida tricolor ficou apreensiva e o duelo ficou ainda mais tenso, indo para a disputa de pênaltis.

O São Paulo começou batendo com Edcarlos, que marcou, e o Vasco igualou com Lucas Santos. Depois, Morato deixou o tricolor na frente, Thiago Couto defendeu o chute de Tiago Reis, Tuta fez mais um para o time paulista, Gabriel Norões isolou a bola, Marcos Júnior também, só que o goleiro do São Paulo defendeu outra, de Riquelme, e garantiu a vitória por 3 a 1 nas penalidades.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 2 (3) x (1) 2 VASCO

SÃO PAULO: Thiago Couto; Caio, Tuta, Morato e Welington (Sena); Diego, Paulinho (Marcos Júnior) e Rodrigo Nestor (Vitinho); Antony (Fasson), Gabriel Novaes (Edcarlos) e Fabinho (Weverson). Técnico: Orlando Ribeiro.

VASCO: Alexander; Tenório, Ulisses, Gabriel Norões e Coutinho (Riquelme); Bruno Gomes (Laranjeira), Caio Lopes e Linnick (Alexandre Melo); João Pedro (Talles), Tiago Reis e Lucas Santos. Técnico: Marcos Valadares.

GOLS: Gabriel Novaes, aos 38 minutos do 1º tempo; Antony, aos 7, Lucas Santos, aos 30, e Tiago Reis, aos 38 minutos do 2º tempo.

ÁRBITRO: Douglas Marques das Flores.

CARTÕES AMARELOS: Welington, Diego, Coutinho e Ulisses.

PÚBLICO: 33.199 pagantes.

RENDA: R$ 874.745,00.

LOCAL: Pacaembu, em São Paulo (SP).

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.