Amanda Perobelli/Estadão
Amanda Perobelli/Estadão

Nova arena do Palmeiras estimula economia na região

Estádio motiva a abertura na região de empreendimentos voltados à torcida do clube

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

26 de novembro de 2016 | 17h00

Os palmeirenses têm saído à rua não só para desfrutar da boa fase do time, como também a evolução do bairro. A nova arena, inaugurada em 2014, transformou a paisagem da Pompeia e abriu oportunidades para empreendimentos dedicados aos torcedores do clube.

O movimento propiciou a empresários novas formas de faturamento. Reinaldo Oliveira Filho, por exemplo, abriu há três anos o hostel O’Riley’s, a cerca de 1km do estádio. "Sabia que tinha uma demanda para pessoas se hospedarem para ver os jogos. O atrativo é não ser um ambiente de hotel e ter decoração palmeirense", afirmou. Quem é torcedor do clube tem desconto de 10% na diária, com direito a curtir o ambiente com cadeiras do antigo estádio, bandeiras e figuras históricas. Tudo, é claro, na cor verde.

"A economia gira em torno do Palmeiras. Com a nova arena, a região se valorizou", disse o empresário Felipe Giocondo, uma das testemunhas do impacto causado pelo Allianz Parque. Ele fundou em 2011 um ponto de encontro para amigos palmeirenses se reunirem no bairro enquanto o estádio passava pela reforma. No começo, basicamente os frequentadores se resumiu aos 25 sócios. Agora, em domingos de jogos, o fluxo chega a cerca de 3 mil pessoas.

Um dos frequentadores do local, o empresário José Ezequiel Filho, de 72 anos, vivencia a Pompeia desde a época do antigo Palestra Itália e também notou a transformação. "A arena virou ponto turístico. O Palmeiras fez aumentar o fanatismo e a presença do orgulho de ser torcedor", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.