Nova denúncia de caso de racismo no Rio chama a atenção

Jogador do Macaé teria sido chamado de macaco por torcedor do Friburguense em partida na última quarta-feira, pela Copa Rio

Sílvio Barsetti, O Estado de S. Paulo

16 de outubro de 2014 | 20h44

Uma nova manifestação de racismo voltou a chamar a atenção do futebol brasileiro. Desta vez foi na última quarta-feira, durante um jogo entre Friburguense e Macaé, pela Copa Rio, disputado em Nova Friburgo. O alvo teria sido o atleta Bruno Alves, camisa 10 do Macaé, a quem um torcedor dirigiu a seguinte expressão: "Macaco quer banana!".

O árbitro da partida, José Waldson de Matos Modesto, relatou o caso na súmula. Ele contou que foi informado pelo quarto árbitro de que havia um homem ao lado de onde estavam os torcedores do Friburguense que se manifestara com palavras ofensivas, de cunho racista, contra o atleta do Macaé.

O Friburguense venceu o jogo por 3 a 1. No momento dos gritos do "torcedor", o Macaé estava na frente: 1 a 0. A diretoria do clube de Nova Friburgo informou que tomou conhecimento da ofensa durante a partida e tentou identificar o "infrator". Não conseguiu e o clube teme punições.

Na súmula, o árbitro deu detalhes sobre o caso. "Aos 7 minutos do 2º tempo, após cobrança de arremesso lateral, onde a bola saiu para o time do canto, fui chamado pelo 4º árbitro, Wandemberg de Araújo, que me relatou o seguinte fato: Ouvi de parte de um torcedor posicionado na arquibancada do lado da torcida do Friburguense, a seguinte frase, quando o atleta número 10 (dez), Bruno Alves de Souza, da equipe visitante, mantinha a posse a bola: ''Macaco quer banana''".

No documento, o árbitro acrescentou que solicitou ao auxiliar que comunicasse o incidente à Polícia Militar, ao delegado da partida e aos dirigentes dos dois clubes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.