Ivan Storti/Divulgação
Ivan Storti/Divulgação

Nova derrota do Santos pode definir saída de Oswaldo de Oliveira

Técnico rebate críticas sobre queda do time e diz que sabe 'o caminho de casa'

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

22 de maio de 2014 | 07h03

SANTOS - O Santos precisa da vitória nesta quinta-feira contra o Goiás, às 19h30, em Goiânia, para se reabilitar da derrota diante do Atlético-MG. O jogo é de risco para Oswaldo de Oliveira, cujo trabalho vem sendo questionado por conselheiros e dirigentes. Ele pode até ser demitido em caso de novo resultado negativo. Em cinco jogos, o Santos perdeu um, empatou três e venceu um, com aproveitamento de 40%.

Oswaldo rebateu, após o treino desta quarta, no CT Rei Pelé, as críticas do vice-presidente do Conselho Deliberativo, Carlos Henrique Fonseca Filho, na reunião do órgão para votar as contas de 2013, segunda-feira.

"Às vezes as pessoas pegam carona para aparecer um pouco. Estou tranquilo com questão de pressão e questionamentos. Meu trabalho está aqui (no CT) e todo mundo elogiou. Era Oswaldia, não sei o que, e agora é motivo de crítica. Eu continuo fazendo trabalho da mesma maneira, os jogadores às vezes não se comportam como a gente quer, e dirigente também. Às vezes é verde, outras, amarelo", rebateu.

Sobre a declaração do presidente Odílio Rodrigues, que afirmou que o time caiu de produção já nas quartas de final do Campeonato Paulista, Oswaldo se lembrou da vitória sobre a Ponte Preta por 4 a 0 e, nas semifinais virada por 3 a 2 sobre o Penapolense. "Qualquer coisa, eu sei o caminho de casa", disse o treinador, irritado.

Oswaldo e a diretoria do Santos não falam a mesma língua desde os dias que antecederam as finais do Campeonato Paulista. O treinador ficou descontente com a direção por ter concordado com a marcação dos dois jogos contra o Ituano para o Pacaembu. Seu argumento foi de que trabalhou para que o time terminasse em primeiro a fase de classificação para decidir o título em casa e que o esforço foi inútil.

Agora, Oswaldo se queixa de ter ficado sem a Vila Belmiro para os jogos contra o Atlético-MG - o mando foi vendido pela direção por R$ 1,2 milhão -, Flamengo (domingo, no Morumbi) e Criciúma (dia 1.º de junho, no estádio Primeiro de Maio, em São Bernardo).

Por outro lado, a direção ainda não digeriu o fracasso do time na decisão do Campeonato Paulista contra o Ituano, e está incomodada com o fraco início de Brasileiro que poderá comprometer o desempenho do candidato da situação (a ser definido) nas eleições presidenciais de dezembro.

A VOLTA DE RENATO 

Com relação ao time, Renato, finalmente registrado pelo Santos na CBF, vai reestrear, dez anos depois de ter deixado o clube em meio à campanha da conquista do último título brasileiro, em 2004. O volante de 35 anos será o substituto de Alan Santos (voltou a sentir a lesão na coxa) e formará a dupla com Arouca. "Eles vão se revezar. Quando um fica, o outro se adianta para armar o jogo e encostar nos atacantes", explicou Oswaldo.

Jubal, dispensado da seleção brasileira sub-21, que vai disputar o Torneio de Toulon, na França, será o companheiro de Neto na zaga. Após cumprir suspensão, Cicinho retorna à lateral direita e o titular na esquerda será o garoto Zé Carlos, em razão da convocação de Mena para defender o Chile na Copa do Mundo. Geuvânio, revelação do Campeonato Paulista e que caiu de produção a ponto de ir para a reserva, ocupará a vaga de Thiago Ribeiro, contundido.

O Goiás, com 10 pontos ganhos em 15 disputados, vai repetir a escalação que derrotou o Botafogo, em Juiz de Fora, e volta ao Serra Dourada, após a perda de dois mandos de jogo.

GOIÁS x SANTOS

GOIÁS - Renan; Thiago Mendes, Jackson, Alex Alves e Juliano; Amaral, David, Ramon e Thiago Real; Esquerdinha e Danilo. Técnico: Roberto Drubscky.

SANTOS - Aranha; Cicinho, Neto, Jubal e Zé Carlos; Arouca, Renato, Cícero e Lucas Lima; Geuvânio e Gabriel. Técnico: Oswaldo Oliveira.

Árbitro - Igor Junio Benevenuto (MG).

Horário - 19h30.

TV - Pay-per-view.

Local - Serra Dourada, em Goiânia (GO).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.