Nova dupla do Palmeiras não se encaixa

Dois dias de treino foram o bastante para Bonamigo perceber o óbvio: dificilmente os recém-contratados Washington e Sérgio Gioino formarão a dupla de atacantes do Palmeiras. De acordo com o treinador, os dois poderão jogar juntos no futuro, mas terão de se adaptar um ao outro. "Deu para sentir que estamos desequilibrados. Os dois são jogadores de definição, artilheiros. Até se movimentam bem mas o time precisa de alguém de preparação. No futuro, quem sabe eles não conseguem se adaptar".Para o jogo de sábado, contra o Brasiliense, no Parque Antarctica, Bonamigo deve testar várias duplas ofensivas. Como a documentação de Gioino não ficará pronta esta semana, Washington tem grandes chances de estrear. A dúvida do treinador é saber ao lado de qual atacante. "Hoje eu posso reavaliar a frente. Penso em colocar mais um jogador por lá para ficar com o Ricardinho ou com o Osmar", avalia Bonamigo. Apesar da dúvida, o técnico se sente tranqüilo. Chegou até a brincar na hora de explicar os critérios para definir quem vai escalar.Camisas ao ar - "Vou jogar as camisas para o alto e eles é que terão de se enfiar nelas. Cada um terá de buscar o seu espaço". Em seguida, falou sério. "Tenho que trabalhar em cima da produção. O atleta que fizer por merecer vai ter a chance. Para mim, é ótimo ter tantas opções".Se Bonamigo ainda reflete sobre as opções ofensivas, na defesa não há dúvidas: já decidiu que o Palmeiras não jogará mais com três zagueiros. "Vamos usar um 4-4-2 disfarçado, com o Marcinho fazendo a função de um terceiro zagueiro em determinados momentos", avisa o técnico. "Perco um pouco na bola aérea, mas em compensação ganho em velocidade nas saídas de bola", justifica.Com o tempo, porém, Bonamigo pretende soltar mais o time. Ele não descarta a hipótese de jogar com três atacantes. "Antes preciso de um pouco mais de segurança para a equipe jogar. Mas no momento em que eu encontrar o equilíbrio na defesa, posso até jogar com dois meias ofensivos ou até mesmo três atacantes".Nessa primeira etapa de trabalho, Bonamigo quer aprofundar os conhecimentos sobre todos os jogadores. Na lateral direita, por exemplo, pretende observar melhor André Cunha e Bruno. Se um dos dois repetir as boas atuações do ano passado em seus ex-clubes (Ponte Preta e Marília), é bem provável que Corrêa deixe de atuar improvisado na posição.Pelo menos nessa fase, onde "todos têm as mesmas chances", segundo o chefe, os jogadores estão animados. Warley, que viveu maus momentos na época de Candinho, está animadíssimo. "Entrei bem no jogo contra o São Caetano, fiz um gol e vou brigar pelo meu espaço aqui".Aos que sobrarem, Bonamigo já mandou seu recado. "Bico comigo não funciona. No meu time, quero todo mundo trabalhando motivado e com alegria".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.