Divulgação/ESM
Divulgação/ESM

Nova equipe do Vôlei Brasil Kirin é apresentada em Campinas

Time vice-campeão paulista, reforçado com João Paulo Bravo, João Paulo Tavares e Alan, continua na perseguição ao título

O Estado de S. Paulo

17 Junho 2013 | 15h11

SÃO PAULO - A continuidade da equipe masculina de vôlei de Campinas chegou a ser ameaçada depois da decisão de seu antigo patrocinador, a Medley (marca que pertence ao laboratório Sanofi-Aventis) de não renovar o contrato. Mas um novo patrocinador, a empresa de bebidas Brasil Kirin, resolveu investir no projeto. O contrato vai expirar apenas em 2017.

Campinas foi vice-campeã paulista duas vezes e campeã dos Jogos Abertos do Interior. Na Superliga, sob o comando do técnico Marcos Pacheco, terminou a fase de classificação em quarto lugar e depois foi eliminada nas quartas de final.

Ex-auxiliar técnico de Pachedo, Alexandre Rivetti foi promovido a treinador. Foram contratados o ponta João Paulo Bravo, da seleção brasileira, além de João Paulo Tavares, que já teve passagem pela seleção, do levantador Paulo Renan, do central Vini e do oposto Bérgamo. Permanecem alguns jogadores-chave da equipe, como o líbero Alan, da seleção, André Heller, Gustavão, Rivaldo e Rodriguinho.

“O nosso compromisso com o patrocínio da equipe de Campinas vai além do time profissional. Um dos pilares do projeto é a inclusão de jovens que sonham em trilhar uma carreira como atleta profissional, por meio do patrocínio à categoria de base. Outro pilar muito importante é a iniciativa social por meio dos núcleos com aulas de minivôlei no contra-turno escolar possibilitando o contato dos jovens com o esporte”, afirma Juliana Nunes, VP de Assuntos Corporativos e Sustentabilidade da Brasil Kirin.

O embaixador da equipe coninua sendo o ex-levantador Maurício, que é campineiro. Ele foi campeão olímpico em 92 e 2004. "A Brasil Kirin chegou proporcionando uma estrutura muito bacana e vamos trabalhar duro para corresponder da melhor forma dentro da quadra. Formamos um grupo forte e temos excelentes condições de desenvolver nosso trabalho. As expectativas são as melhores possíveis”, diz Maurício.

“Fico feliz de ter a oportunidade de comandar uma equipe competente como essa que foi montada. Com muito trabalho sei que teremos condições de buscar muitos títulos”, afirma Rivetti.

 

Mais conteúdo sobre:
vôleiSuperliga

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.