Nova fase para Simplício e Júlio

Um vinha sendo marcado por ser violento, o outro tornou-se alvo da torcida por não marcar gols. Ambos andavam cabisbaixos, e falavam pouco. Nesta sexta-feira, com apenas dois jogos sob o comando de Oswaldo de Oliveira, o volante Fábio Simplício e o meia, Júlio Baptista, voltaram a sorrir e a jogar bem. Uma conversinha em particular com o ?chefe? foi o motivo para a volta por cima. ?O Oswaldo acertou nosso posicionamento e não chego mais atrasado nas jogadas. Com isso já estou apagando esta história de ser violento?, disse Fábio Simplício, autor de dois gols nos confrontos contra o Palmeiras. ?Ele me colocou na minha verdadeira posição e deu muita tranqüilidade. Com isso, voltei a render o máximo?, concluiu Júlio, dando os méritos de sua grande apresentação contra o time do Palestra Itália, quarta-feira, ao treinador, que o escalou novamente como meia. ?Quando cheguei aqui, estranhei ver o Júlio atuando como atacante. Sempre o vi jogando bem, e gostei, como meia?, afirmou Oswaldo que, por falta de material humano ? França e Dill estão contundidos e Kaká na seleção brasileira ? , não descarta a possibilidade de utilizar o atleta mais avançado. ?No momento a escacez no ataque é muito grande?, definiu o técnico. Quanto a Simplício, o treinador garantiu não ter usado táticas especiais. ?O deixei jogar naturalmente.? Absolvição ? Simplício inocentou Magrão pela forte entrada em Dill, que ocasionou fratura na fíbula da perna esquerda do atacante e o tirará dos campos por 3 meses. ?Ele entrou duro, mas visando a bola, não teve maldade.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.