Daniel Teixeira/Estadão
Corinthians não pretende arcar com custos para receber futebol nos jogos do Rio Daniel Teixeira/Estadão

Publicidade em pontes das marginais vai bancar reforma do Itaquerão

Patrocinadores pagarão obras do estádio para Olimpíada de 2016

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2015 | 07h00

A exibição publicitária de marcas de patrocinadores por meio de projeções luminosas nas pontes das marginais do Tietê e do Pinheiros deverá bancar as estruturas provisórias que serão instaladas no Itaquerão para que o estádio do Corinthians possa receber partidas de futebol da Olimpíada de 2016. As obras de adaptação custarão R$ 13 milhões, e serão pagas por patrocinadores dos Jogos que, como contrapartida pelos investimentos que farão, ganharão espaços publicitários nas vias da cidade.

Essa foi a solução encontrada pela Prefeitura para que São Paulo pudesse sediar dez jogos da Olimpíada (seis do feminino e quatro do masculino) depois que o Corinthians se recusou a pagar pelas estruturas temporárias, como fez na Copa do Mundo. Os equipamentos considerados mais caros são os usados para transmissão de televisão e TI (tecnologia de informação). Outros custos elevados são os de controle de acesso do público (aparelhos de raio-x) e as áreas para autoridades.

“O Comitê Olímpico garantiu que os custos operacionais das estruturas temporárias serão bancados pelos patrocinadores mediante publicidade através de iluminação em viadutos. A tendência é que sejam as pontes das marginais do Tietê e do Pinheiros. Não haverá uso de recursos públicos, mas sim uma troca de ativos”, explica o secretário municipal de Esportes, Lazer e Recreação, Celso Jatene.

Projeto aprovado pela Comissão de Proteção à Paisagem Urbana da Prefeitura já definiu as regras das inserções publicitárias. A exibição das marcas dos patrocinadores da Olimpíada será feita através da projeção de imagens em 20 locais públicos entre os dias 20 de julho e 20 de agosto de 2016 – os jogos no Itaquerão serão disputados entre 3 e 19 de agosto.

As projeções ocorrerão no horário das 18h à 1h, e têm de ser divididas em 50% de conteúdo editorial (imagens sobre a rota da tocha olímpica, países participantes, quadro de medalhas, recordes, jogos do dia, entre outros) e 50% de exposição das marcas dos patrocinadores. Cada ciclo das projeções deverá ter uma sequência máxima de cinco minutos. Também ficou definido que os refletores não poderão gerar impactos na paisagem nem atrapalhar o fluxo de pedestres.

Já está certo que durante o período em que o Itaquerão estiver sob gestão do COI (Comitê Olímpico Internacional) o Corinthians poderá usar o estádio do Pacaembu sem precisar pagar aluguel. A arena do Alvinegro deverá ser entregue aos organizadores dos Jogos a partir do dia 15 de julho.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolCorinthiansOlimpíadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

'Não haverá recursos públicos na Olimpíada, mas troca de ativos'

Jogos no Itaquerão não devem comprometer o orçamento da cidade

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2015 | 07h01

O secretário municipal de Esportes, Lazer e Recreação, Celso Jatene, foi o responsável por costurar as alianças entre o Corinthians e o Comitê Olímpico para garantir a presença do Itaquerão nos Jogos de 2016. Nesta entrevista ao Estado, ele conta qual foi a engenharia financeira encontrada pela Prefeitura para que o estádio fosse incluído na lista de sedes do torneio de futebol da Olimpíada sem custos para o Alvinegro e os cofres do município.

Quem vai pagar os R$ 13 milhões da reforma do Itaquerão para os Jogos Olímpicos de 2016?

O Comitê Olímpico garantiu que os custos operacionais das estruturas temporárias serão bancados pelos patrocinadores mediante publicidade através de iluminação em viadutos. A tendência é que sejam as pontes das marginais do Tietê e do Pinheiros. Não haverá uso de recursos públicos, mas sim uma troca de ativos.

Isso significa que os espaços publicitários que a Prefeitura vai ceder aos patrocinadores dos Jogos valem R$ 13 milhões?

Sim, mas também abrimos a possibilidade, em um cenário mais otimista, de que caso o ativo que a Prefeitura disponibilizar tenha um valor superior ao das despesas com o estádio, os patrocinadores farão o depósito da diferença ao Fundo Municipal de Esportes.

Qual é a expectativa de público no Itaquerão durante os Jogos Olímpicos?

São Paulo vai receber seis jogos do futebol feminino, incluindo a disputa da medalha de bronze, e mais quatro do masculino, entre eles uma semifinal. Algumas dessas partidas já estão com ingressos esgotados. Sempre tivemos certeza de que os jogos aqui seriam um sucesso de público. Só não fizemos os investimentos para a reforma do estádio porque temos outras prioridades. Mesmo assim, tínhamos a certeza que os patrocinadores aceitariam a nossa proposta de parceria porque sabemos da força de São Paulo e do ativo que a cidade possui. Sabíamos que dava para trazer esses jogos para cá sem comprometer o orçamento da cidade.

O Corinthians poderá ficará até um mês sem o seu estádio. Haverá algum tipo de compensação por isso?

O Corinthians vai ceder a sua arena gratuitamente. O clube já tem a chancela da Copa e agora terá a chancela olímpica. Existe a possibilidade de o Campeonato Brasileiro parar durante a Olimpíada, mas, caso o Corinthians precise do Pacaembu, o estádio estará à disposição do clube, sem custos. É uma forma de compensação por tudo o que cube está fazendo pela cidade.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolCorinthiansOlimpiadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.