Análise: Brasileiro já superou Cristiano Ronaldo

Neymar deve ganhar a Bola de Prata da Fifa, atrás somente de Lionel Messi. Não há mais dúvidas de que ele já ultrapassou Cristiano Ronaldo como  segundo melhor jogador do mundo.

O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2015 | 17h00

Ele não será eleito o melhor jogador do planeta agora porque Messi, ajudado por Neymar, foi imenso na primeira metade do ano. Está muito claro que Neymar faz parte de um tridente de ataque histórico no Barcelona ao lado de Messi e Suárez. Quem poderia imaginar que um brasileiro poderia se entrosar tão bem ao lado de um argentino e de um uruguaio?

Neymar tem construído uma bela trajetória no Barcelona. É um atacante muito inteligente, que tem dado alegria ao jogo e ao vestiário do Barça com sua forma de ser. Ele é jovem e ainda tem todo um futuro pela frente para ser construído.

O que  fez durante os quase dois meses em que o Messi esteve machucado não foi surpreendente. Logo na sua primeira temporada no Barcelona, quando Tata Martino era o treinador, Messi se machucou em um jogo contra o Betis e Neymar levou o time nas costas exatamente no papel de Messi, como um “falso nove”. Agora, ele compartilhou com Suárez o peso da ausência de Messi e se deu muito bem.

Neymar trouxe ao jogo de Barcelona verticalidade, imaginação, técnica e alegria. Ele lembra o auge de Ronaldinho. Mas, acima de tudo, Neymar tem o “um contra um” muito forte. Ele rompe as defesas e derruba muros com a sua velocidade e dribles.

É injusto dizer que Neymar provoca os adversários com o seu estilo. Na verdade, ele é criativo e, constantemente, inventa coisas com a bola. Ele melhorou muito na marcação pressão (algo essencial no Barça) e tem defendido mais. A seleção brasileira, com certeza, vai se aproveitar do salto de qualidade que o Neymar teve no Barcelona.

* Francesc Aguilar é subeditor do jornal Mundo Deportivo, de Barcelona

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolNeymar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.