Divulgação
Divulgação

São Paulo começa reformulação e demite gerente executivo

Gustavo Oliveira estava no cargo desde maio de 2013

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

27 de maio de 2015 | 15h23

O São Paulo demitiu nesta quarta-feira o gerente executivo de futebol Gustavo de Oliveira, sobrinho de Raí e filho de Sócrates. A saída do dirigente, que estava no cargo desde maio de 2013, integra o projeto do presidente Carlos Miguel Aidar de reformular o clube depois da eliminação na Copa Libertadores. A primeira mudança foi a contratação do técnico colombiano Juan Carlos Osorio.

Oliveira cuidava dos contratos dos jogadores, intermediava contratações e negociava dispensas e a relação entre o elenco e a diretoria. Nos últimos tempos o trabalho dele não agradava ao presidente. O mais cotado para assumir o cargo é José Eduardo Chimello, atualmente no Ituano e que passou pelo Tricolor na década de 1980, quando Aidar também era o presidente.

O clube deve promover mais mudanças nos próximos dias. O atual técnico, Milton Cruz, vai conversar com Aidar para definir qual será o seu papel no clube com a contratação de Osorio. A tendência é que Milton assuma alguma tarefa nas categorias de base. A diretoria também prepara uma reformulação no elenco, já que o goleiro Rogério Ceni vai se aposentar em agosto e o atacante Luis Fabiano tem contrato até o fim do ano e não deve renovar.

Oliveira conversou com os jornalistas antes do treino do São Paulo na tarde desta quarta-feira. O ex-dirigente do clube lamentou a saída e disse que a decisão se deu pela mudança que a diretoria do clube quer implantar. "Fui informado de que o futebol terá novos rumos, rumos esses do qual não me vejo como parte. São valores pessoais que carrego, trago comigo, o São Paulo é muito grande", comentou. 

O ex-gerente descartou que a saída tenha relação com a vinda de Juan Carlos Osorio e deixou no ar uma reprovação às mudanças planejadas pelo clube. "O projeto que venha a ser conduzido, como não sou parte, não me sinto a vontade, nem sou a pessoa para informá-los. Deixo claro que não é por causa do treinador, fui parte do processo de escolha, acredito muito nele (Osorio), é uma aposta, acho que correta", disse Oliveira, que foi um dos responsáveis por pesquisar nomes e indicar o colombiano.

(atualiza às 16h30)

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCGustavo Oliveira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.