JF Diorio/AE
JF Diorio/AE

Nova oferta não seduz Paulinho a deixar Corinthians

Craque da equipe alvinegra recebeu proposta de cerca de R$ 26 milhões do CSKA, da Rússia

Fábio Hecico, Agência Estado - Atualizado às 13h30 para acréscimo de informação

15 de junho de 2012 | 12h17

SÃO PAULO - A palavra do volante Paulinho é arma do Corinthians para tentar manter o time após a Libertadores. O jogador vem sendo bastante assediado pelo futebol europeu e, depois dos clubes italianos, agora é a vez do CSKA, da Rússia, aparecer com uma oferta de 10 milhões de euros (cerca de R$ 26 milhões) para levá-lo após a competição continental.

Paulinho disse não querer deixar o Corinthians agora e afirmou a seus interlocutores que prefere ficar mais um tempo no País para depois se transferir para um grande centro europeu. Ou seja, ele não está disposto a jogar na fria Moscou.

"Minha vontade é a de ficar no Corinthians até o fim do ano pelo menos. E tem mais, não chegou nada. As pessoas ficam inventando essas notícias para desestabilizar a gente. Converso com meu representante todos os dias e não há nada, não tenho porque ficar mentindo", afirmou o jogador.

Representantes do jogador juram não ter havido negociação, mas a oferta foi mesmo feita. Na última quinta-feira, as partes que cuidam do jogador rapidamente fizeram questão de dizer que não há nada fechado.

"Foi veiculado que Paulinho foi negociado e essa informação não procede", escreveu, no Twitter, José Carlos Brunoro, manager do Pão de Açúcar, clube que detém 45% dos direitos do jogador. Outros 45% são do BMG, com apenas 10% do Corinthians.

O empresário Bernardo, que viajou pela Europa para "ouvir" as propostas, até ironiza o possível encontro com os russos. "Desconheço completamente a negociação, jamais falei com pessoas do CSKA. Talvez por ser negrão, tenham me confundido", ironizou. A verdade é que todos acham que Paulinho vale mais. E ele prefere jogar em centros como Itália, Espanha, ou Inglaterra.

No Corinthians, a ordem é não deixar que nada mexa com a cabeça dos jogadores antes do jogo de volta da Libertadores. "Logo pela manhã conversamos com as pessoas do Pão de Açúcar e eles nos informaram que não tinha nada", disse o diretor adjunto de futebol Duílio Monteiro Alves. "Para o Corinthians não chegou nada de oficial, mas não temos defesa, até porque o Paulinho está emprestado para a gente e não temos muito controle nesse assunto. Claro, vamos fazer de tudo para que ele fique e esse é o desejo dele".

Paulinho também acredita que sondagem é uma manobra para gerar polêmica antes de jogo decisivo contra o Santos. "Querem tumultuar o ambiente e não vão conseguir. Estamos concentrados na grande meta (Libertadores) e não vamos perder o foco. O Thiago (Ferro) me ligou e disse que surgiu mais uma negociação e para eu ficar tranquilo que não existe nada."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.