Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Nova regra para a Copa obriga torcedores a fazerem credencial

A cerca de um mês do Mundial, brasileiros se mobilizam para garantirem documentos para verem os jogos na Rússia

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

09 Maio 2018 | 07h00

Mesmo antes de o técnico Tite anunciar a lista de convocados da seleção para a Copa, vários brasileiros já estão contentes pela confirmação da presença na Rússia. A garantia veio para alguns deles pelos Correios com o documento essencial para assistir aos jogos nos 12 estádios da competição: a Fan ID.

+ Clubes ajudam seleção na 'espionagem'

+ Daniel Alves vira preocupação para a Copa

A credencial de torcedor é gratuita e se trata de uma medida da segurança obrigatória para identificar quem vai ao país para ver a Copa. Segundo o Ministério das Comunicações e dos Meios de Comunicação da Rússia, já foram emitidos mais de 500 mil documentos, dos quais cerca de 10 mil pedidos vieram do Brasil, oitavo país que mais fez solicitações.

O engenheiro civil Mário Cassapulas recebeu o documento em São Paulo no mês passado. "Foi fácil. Fiz o cadastro no site e optei por entregarem em casa. Levou mais ou menos um mês. Só precisei tirar uma foto com fundo branco, como é pedido, mas aceitaram uma 'selfie' mesmo", contou.

O torcedor faz o pedido da Fan ID a partir de um código fornecido pela Fifa no momento da compra do ingresso. A entrega em casa não tem custos. Quem preferir, terá uma versão eletrônica como comprovante. A partir dela, o torcedor precisa fazer a retirada do crachá na Rússia ou nos centros de solicitações de vistos, como consulados, por exemplo. 

"Vou fazer a retirada aqui em São Paulo, em um dos pontos de distribuição. Foi fácil fazer a Fan ID. Eu me programei com antecedência e em setembro já comprei os bilhetes para viajar de trem", afirmou o estudante Pedro Jamil Atallah.

A Fan ID é um crachá com a foto do torcedor e, principalmente, o nome escrito tanto no alfabeto romano como no cirílico. Nenhuma outra edição da Copa exigiu uma credencial para torcedores. Na Copa das Confederações do ano passado, a identificação foi testada. Cerca de 480 mil torcedores pegaram o documento.

O crachá tem como vantagens o direito a viagens gratuitas em trens e transporte público em dias de jogos. O documento também libera a entrada na Rússia sem necessidade de visto entre um período de dez dias antes da Copa e após o dia da final.

Apesar disso, o Fan ID não dispensa o brasileiro de carregar sempre outros dois documentos. Quem for à Rússia vai precisar primeiramente do cartão migratório, geralmente entregue pelas companhias aéreas, e o registro migratório.

Este último requer mais atenção. Se a hospedagem do turista for um hotel, o próprio estabelecimento cuida da procedimento. Quem ficar em outro tipo de acomodação, precisará procurar as autoridades para se registrar. "Eu e minha mulher alugamos um apartamento e os proprietários se encarregaram de nos levar para uma delegacia para tirar o documento", explicou o publicitário Sebastião Pereira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.