Novas denúncias contra Eurico Miranda

O presidente da Câmara dos Deputados, Aécio Neves (PSDB-MG), recebeu nesta terça-feira novas denúncias contra o presidente do Vasco da Gama, deputado Eurico Miranda (PPB-RJ). Eurico é acusado pelo presidente e pelo relator da CPI do Futebol, senadores Álvaro Dias (PSDB-PR) e Geraldo Althoff (PFL-SC), de ter cometido crimes contra a ordem tributária, crime eleitoral, apropriação indébita, falsidade ideológica e de atos atentatórios ao decoro parlamentar. De acordo com os senadores, boa parte da campanha eleitoral do deputado foi paga com recursos desviados do clube, depositados na conta do funcionário Aremithas José de Lima, que atuaria como laranja dos dirigentes do clube. Eles também acusam Eurico de ter ameaçado o assessor da CPI que participava da operação policial de apreensão dos livros contábeis do Vasco. Nas representações contra o dirigente, os senadores informam ao presidente da Câmara que os fatos descobertos pela CPI contra Eurico ?marcam um comportamento impróprio e incompatível?, que pela Constituição deve ser punido com a perda do mandato. Aécio pediu à assessoria jurídica da Câmara que se manifeste sobre as denúncias. O procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, informado anteriormente dos fatos, pediu ao Supremo Tribunal Federal que adote as providências para processar o deputado. Se o tribunal concordar, será o quarto pedido de licença do tribunal tentando obter a autorização da Câmara para abrir inquérito contra o parlamentar. De acordo com os senadores, a CPI descobriu, mediante a quebra do sigilo bancário de Aremithas, que foram depositados R$ 12 milhões em suas contas. Desse total, saíram os recursos que financiaram a campanha de Eurico em 1998, ?bem como de outros candidatos?, pagamentos de despesas do clube, ?principalmente jogadores e funcionários, com aparente ocultação desses valores ao Ministério do Trabalho e ao Imposto de Renda?, e diversos pagamentos estranhos à atividade do clube. Os senadores constataram ainda que a Justiça eleitoral não foi informada sobre o total de dinheiro que o deputado aplicou na sua campanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.