Frederico Tadeu/Avaí FC
Frederico Tadeu/Avaí FC

Novatos na elite, Avaí e CSA empatam em jogo inédito e seguem na zona da degola

Equipes nunca haviam se enfrentado na primeira divisão e não conseguem tirar o zero do placar na Ressacada

Redação, Estadão Conteúdo

12 de maio de 2019 | 21h30

Vindos juntos da Série B ano passado, Avaí e CSA fizeram um duelo inédito pelo Brasileirão, neste domingo à noite, no estádio da Ressacada, em Florianópolis, pela quarta rodada. Mas, com elencos limitados tecnicamente, os dois times mostraram ser fortes candidatos a brigar pelo rebaixamento. Tanto que o empate por 0 a 0 os deixa ainda sem vitória na competição.

Pior para o Avaí, que somou seu segundo ponto em casa, onde almejava um melhor desempenho neste início de campanha já projetando garantir sua permanência na elite em 2020. O time catarinense aparece em penúltimo lugar, só na frente do Vasco, com um ponto. Com três pontos, o CSA abre a zona de queda, em 17º lugar.

O primeiro tempo foi irritante para o torcedor presente na Ressacada. Mesmo correndo atrás de suas primeiras vitórias na competição, ambos priorizaram o sistema de marcação. O CSA ainda sofreu algumas baixas de última hora, devido um surto de gripe. Entre as baixas, os laterais Apodi e Carlinhos, além do meio-campo Ramires.

Os dois goleiros não fizeram nenhum defesa. Apesar disso, o Avaí teve uma sensível vantagem no volume de jogo e finalizou mais a gol: 7 a 1. Nada que agradasse ao próprio técnico Geninho. "Nós precisamos jogar verticalmente, em direção ao gol", apontou o treinador. Na volta do intervalo, ele tirou o lateral Yury para a entrada de Lourenço.

Apesar da maior movimentação no reinício de jogo, o Avaí quase sofreu o gol aos sete minutos. Matheus Sávio foi lançado nas costas da defesa e tocou fraco na frente do goleiro Vladimir, que fez o encaixe. O time alagoano não ameaçou mais.

De outro lado, o Avaí não encontrou espaços para fugir da marcação adversária, muito menos fazer as infiltrações. Até tentou o jogo aéreo, mas era uma alternativa ruim para quem não tinha um homem especialista de área. Ninguém mereceu mais do que este pobre 0 a 0. Nem os times, nem a torcida, que xingou e vaiou após o apito final. Um desabafo já esperado.

As duas equipes só voltam a campo no próximo domingo. O Avaí vai até o Rio para pegar o Vasco, em São Januário, às 19 horas. Este jogo vai marcar a estreia do técnico Vanderlei Luxemburgo. Mais cedo, às 16h, o CSA medirá forças com o Internacional, no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre. Ambos os jogos são válidos pela quinta rodada do Brasileirão.

FICHA TÉCNICA

AVAÍ 0 X 0 CSA

AVAÍ - Vladimir; Iury (Lourenço), Betão, Ricardo e Igor Fernandes; Mosquera (André Moritz), Pedro Castro, João Paulo e Luan Pereira; Getúlio (Jones Carioca) e Daniel Amorim. Técnico: Geninho.

CSA - Jordi; Celsinho, Gerson, Luciano Castán e Armero; Nilton, Naldo, Didira, Matheus Sávio (Robinho) e Madson (Maranhão); Cassiano (Vitor Paraíba). Técnico: Marcelo Cabo.

ÁRBITRO - Dewson Fernando da Silva (PA).

CARTÕES AMARELOS - Luan Pereira (Avaí); Nilton e Luciano Castan (CSA).

RENDA - R$ 97.062,00.

PÚBLICO - 4.852 torcedores.

LOCAL - Estádio da Ressacada, em Florianópolis (SC).

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.