Nove torcedores continuam presos em Joinville após briga

Ao todo 31 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público na confusão do jogo entre Atlético-PR e Vasco

Marcos Dias de Oliveira , O Estado de S. Paulo

22 de janeiro de 2014 | 08h18

JOINVILLE - Com a soltura de 17 torcedores acusados de envolvimento na pancadaria ocorrida na Arena Joinville, durante o jogo Atlético-PR e Vasco, em dezembro aumentou a expectativa dos nove que continuam detidos de também serem liberados. Eles integram o grupo de 31 denunciados pelo Ministério Público, sendo que três continuam foragidos e dois respondem em liberdade. Quatro deles, Thyago Almeida Rosa da Silva de Oliveira, Stevam Vieira da Silva, Ricardo Henk e Robson Moreira da Cruz, tiveram pedido de liberdade negado pela Justiça no mesmo dia em que os colegas saiam do presídio.

A decisão pela soltura dos acusados partiu da juíza substituta da 1ª Vara Criminal, Luciana Malgarin que entendeu que passado um mês da prisão cautelar dos envolvidos, não permanece mais o requisito de ameaça à ordem pública. E também que está restabelecida a paz social e que já passou a sentimento de impunidade e o clamor público. Pesou também o consentimento do Ministério Público, responsável pela denúncia e que entendeu pela liberdade dos acusados.

Entre os liberados está o ex-vereador de Curitiba, Juliano Borghetti e o torcedor vascaíno Phillipe Martelleti Sampaio, que estaria detido no Rio de Janeiro. Os torcedores continuarão respondendo o processo em liberdade e deverão cumprir uma série de requisitos impostos pela Justiça, sob pena de sofrerem novas restrições legais caso transgridam as determinações. Destaque para não poderem se ausentar de suas cidades por mais de oito dias sem autorização judicial, deverão manter atualizado o endereço junto ao processo, deverão se manter distantes 500 metros de qualquer evento esportivo até a publicação da sentença e permanecer em delegacias por 2 horas antes e 2 horas após os jogos de Vasco e Atlético-PR.

Foram liberados Diony Eduardo Carneiro Milleo, Guilherme dos Santos Bundim, Jorge Luiz de Oliveira Júnior, Márcio José Pondelek, Rafael Enrique Marçal, Rodrigo Augusto da Silva, Thiago Cardozo Salvadori, Thiago Paese Weber, Willian Batista da Silva, Agnaldo da Silva Reis, Daniel Gomes, Luiz Felipi Menegatti Pereira, Salatiel Dias Lima, Leonardo Rodrigo Borges e Gabriel Almeida Ziemer.

Oito torcedores continuam presos em Joinville e um está detido no Rio de Janeiro: Bruno Pereira Ribeiro, Jeferson Helmann, Arthur Barcelos Lima Ferreira, Jonathan Fernandes dos Santos e Leone Mendes da Silva.  Na condição de foragidos encontram-se Anderson Barbalho Cavalcante Batista, Marcelo Souza Oliveira e Caique Matheus Pereira Soares. Já, Naohiro de Lira Tamura e Eduardo José Almeida da Rocha estão respondendo o processo em liberdade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.