Novela Robinho continua sem definição

O capítulo desta terça-feira da novela Robinho-Real Madrid-Santos foi adiado. O jogador tinha esperança de ser chamado à Vila Belmiro para ter uma reunião com o presidente Marcelo Teixeira, que voltou dos Estados Unidos mas não foi ao clube.O que mais se comenta na cidade é que o dirigente teria chegado à conclusão de que não há mais clima para Robinho jogar no Santos e estaria negociando diretamente com o Real Madrid.As últimas entrevistas de Robinho tiveram um efeito devastador: de maior ídolo santista depois de Pelé, ele passou a ser chamado de traidor, mercenário e ingrato na cidade. Pela avaliação do criador das campanhas ´Fica Robinho´ e ´Vaza Robinho´, 99,9% dos torcedores santistas não perdoam a atitude do jogador ao afirmar que não podia mais treinar no Santos porque está com a cabeça no Real Madrid.Ex-jogador profissional em times da segunda divisão na Argentina, onde nasceu, torcedor fanático do Santos desde de 1979, quando se mudou para a Baixada, ele é um comerciante de 58 anos e pede para ser identificado apenas como Juan, "para evitar problemas". Conta que o impacto da campanha ?Vaza Robinho? foi maior e mais rápido do que a ?Fica Robinho?."Primeiro, Robinho falou na Europa que não vestia mais a camisa do Santos. Depois, gastou dinheiro para dar uma entrevista em São Paulo, quando disse que está com a cabeça no Real Madrid, e agora afirma que até abre mão dos seus direitos (40% sobre o valor da transação) para ir embora. Então tem que ir embora mesmo. Não há mais ambiente para Robinho no Santos", afirmou o criador das duas campanhas."Criei a primeira depois de um jogo do Santos na Vila Belmiro no Carnaval, pelo Campeonato Paulista", contou Juan, que distribuiu cinco mil adesivos da campanha do "Fica", além de ter feito uma bandeira de 5 metros, sem nenhuma ajuda."Quando Robinho desprezou o Santos na entrevista, resolvi fazer a nova campanha, mas quem criou a frase ?Vaza Robinho? foi a minha filha Marcela. Também decidi virar de cabeça para baixo os adesivos da primeira campanha e, em pouco tempo, a idéia pegou. Vários carros são vistos na cidade com os dois adesivos", revelou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.