Juan Medina/ Reuters
Juan Medina/ Reuters

Novo contrato de Neymar prevê multa de R$ 870 milhões

Valor da rescisão seria menor apenas que o de Messi

O Estado de S.Paulo

10 de maio de 2016 | 11h34

O Barcelona estaria preparando uma oferta para extensão do contrato de Neymar até 2021, três anos além do acerto vigente, válido até 2018. O novo vínculo incluirá um aumento na multa rescisória do atacante. Atualmente fixada em 190 milhões de euros (R$ 751,98 milhões), a taxa para retirar o brasileiro do clube catalão saltaria para 220 milhões de euros (R$ 870,72 milhões).

A informação foi capa do jornal catalão Mundo Deportivo desta terça-feira. De acordo com a publicação, se pudesse, a diretoria azul-grená subiria ainda mais esse valor. Caso o novo contrato seja assinado, a multa rescisória de Neymar ficaria atrás somente da de Lionel Messi, imposta em 250 milhões de euros (R$ 989,45 milhões). 

Ainda segundo o jornal, as negociações entre jogador e clube começaram no final do ano passado e estão caminhando bem. Os valores já teriam sido revisados pelo setor jurídico do clube e por representantes do jogador. 

Uma das exigências do pai do brasileiro é garantia de que a família não seria mais alvo de investigações fiscais. Neymar da Silva ainda pediu para que o clube respalde o camisa 11 caso ele seja sentenciado por algum dos processos que enfrenta contra a Justiça espanhola. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.