Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

Novo Estádio pode custar R$ 1 bilhão ao Corinthians

Motivo do aumento são os juros cobrados por bancos nos empréstimos tomados para a construção

VÍTOR MARQUES, O Estado de S. Paulo

20 de setembro de 2013 | 07h30

SÃO PAULO - Os custos da obra da Arena Corinthians, em Itaquera, já ultrapassaram os R$ 900 milhões e podem chegar a R$ 1 bilhão. O motivo do aumento são os juros cobrados por bancos nos empréstimos tomados para a construção do estádio.

Com índice de conclusão de 90%, a Arena já consumiu R$ 80 milhões em juros, chamado de "custo financeiro" e valor que o Corinthians terá de arcar, segundo o ex-presidente Andrés Sanchez. Tomar empréstimo em bancos privados foi a alternativa da Odebrecht e do clube para construir o estádio, orçado em R$ 820 milhões, uma vez que o financiamento de R$ 400 milhões do BNDES ainda não foi liberado.

O contrato de construção previa custo fixo da obra de R$ 820 milhões. Mas este orçamento foi revisto para cima e já atingiu entre R$ 826 milhões e R$ 830 milhões, apesar dos esforços do clube em segurar os gastos, negociando com fornecedores. Os juros dos empréstimos feitos em bancos privados não entram nessa conta.

Na segunda-feira, em reunião do Conselho Deliberativo, o custo da arena foi debatido entre conselheiros, com a presença de Andrés. No encontro, discutiu-se por exemplo que o gasto total com o estádio poderá chegar a até R$ 960 milhões assim que as obras estiverem 100% concluídas, em dezembro.

O empréstimo do BNDES, que aliviaria o gasto com juros, será feito pela Caixa Econômica Federal, que é parceira do clube e patrocina a camisa do time. Entraves burocráticos impediram que o empréstimo já tivesse sido liberado, apesar de o Corinthians ter dado como garantia bancária parte do terreno do Parque São Jorge. A área foi avaliada em R$ 1,2 bilhão, três vezes o valor do empréstimo para a construção do estádio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.