Novo Palmeiras entra em campo no Sul

O Palmeiras será um novo time nesta quarta-feira, às 21h45, contra o Figueirense, em Santa Catarina. A estréia do técnico Emerson Leão promete ser um divisor de águas da equipe que vinha disputando o Brasileiro para o time que seguirá na competição. Agora, será um Palmeiras preocupado unicamente em subir na tabela. Leão apontou sua prioridade: tirar o time da 16.ª e incômoda posição. "Nossa necessidade é vencer a partida e subir na tabela. Não vamos nos preocupar em jogar bonito. Isso pode ficar para depois. Temos de ganhar o jogo. O Palmeiras não pode ficar onde está", disse.A primeira providência é não sofrer gols. Leão então "trancou" o Palmeiras diante do Figueirense, um adversário que atualmente ocupa a zona de rebaixamento, com dez pontos e apenas dez gols marcados. Ele manteve a equipe com três zagueiros: Gamarra, Nen e Daniel, que estava encostado e agora terá nova oportunidade na vaga deixada por Leonardo Silva, suspenso. Daniel esteve na Seleção Brasileira quando ela era comandada por Leão. À frente dos três zagueiros, o Palmeiras terá dois volantes "brucutus", de marcação pesada: Marcinho Guerreiro e Alceu. "E eles não terão a função de armar a equipe. Estarão ali para destruir e marcar forte", explicou o treinador.Como Baiano será julgado nesta quarta, às 18 horas, no Rio, pelas agressões em Tevez - e por isso não viajou com a delegação -, Correia voltará à lateral-direita. O atleta chegou a dizer no passado que não atuaria mais nesta posição, preferindo uma chance no meio. Nesta terça, ele treinou na ala e não reclamou. Agarrou o colete amarelo dos titulares sem olhar para trás.E no setor ofensivo, Leão testou duas formações. Uma delas, sem atacante de área. Juninho Paulista, que volta ao time depois de suspensão, Marcinho e Pedrinho faziam a função de armação e arremates. Marcinho foi quem mais perto do gol ficou. Na outra opção, Juninho foi sacado para a entrada de Warley, centroavante nato."Vou decidir no dia do jogo", disse o técnico. Os titulares venceram por 2 a 0. Leão fez um coletivo de dois tempos e parou a disputa por várias vezes, cobrando empenho e posicionamento certo de seus jogadores. Numa falta da esquerda, após dois erros de Pedrinho no cruzamento, o chefão ameaçou o atleta dizendo que daria a incumbência para o lateral Lúcio. Na terceira tentativa, Pedrinho acertou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.