Pedro Ernesto Guerra Azevedo / Santos FC
Pedro Ernesto Guerra Azevedo / Santos FC

Novo presidente do Santos promete trabalhar para reatar relação com Neymar

José Carlos Peres também diz que irá valorizar mais os ídolos históricos do clube

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

11 de dezembro de 2017 | 08h18

A eleição de José Carlos Peres para a presidência do Santos pode representar um passo para a reaproximação entre o clube e o atacante Neymar. A relação da equipe e seus torcedores com o hoje jogador do Paris Saint-Germain acabou ficando estremecida por causa da sua polêmica transferência ao Barcelona e suas repercussões na Justiça.

+ Eleito, Peres promete definição rápida de técnico do Santos e quer time ofensivo

+ Eleição do Santos tem polêmica sobre urna para novos sócios e troca de acusações

O Santos considerou que foi ludibriado por Neymar e seu pai com a revelação de que o valor final da transação, concluída em 2013, girou em torno dos 90 milhões de euros, embora o clube tenha recebido apenas 17,1 milhões de euros.

Por causa disso, o Santos levou a sua insatisfação para a Justiça, requerendo uma participação maior no valor final da negociação, assim como a DIS, e também para a Fifa, também defendendo que o jogador teria sido aliciado pela direção do Barcelona para trocar de clube.

O imbróglio jurídico estremeceu a relação entre o Santos e Neymar, situação que ficou exposta por declarações do pai do jogador e também do próprio atacante, que, inclusive, aproveitou a disputa de uma partida da seleção brasileira no Allianz Parque para declarar seu carinho pelo Palmeiras, o clube para o qual torcia na sua infância.

Peres prometeu trabalhar para recuperar a identificação entre Neymar e Santos. E embora tenha adotado cuidado ao comentar as ações judiciais contra o jogador, avaliou que houve erro na estratégia adotada pelo clube. "Entendemos que houve um problema de quando se moveu o processo, que nunca deve se mover contra o ídolo, mas contra o clube que contratou o ídolo. Mas tenho que entender onde estamos pisando", disse.

Além de buscar uma reaproximação de Neymar, o novo presidente do Santos prometeu valorizar os ídolos históricos do clube. "Todos os ídolos do Santos serão bem tratados, essa relação não pode ser quebrada. O que aconteceu, aconteceu, mas o ídolo continua. Teremos as portas abertas para todos eles, sem exceção. Eles tem que sentir que o Santos é a casa deles e não dizer que vai jogar em outro time, a identificação dele é aqui", afirmou.

As declarações de Peres reforçam a possibilidade de o Santos buscar se reforçar com ídolos recentes do clube. São os casos de Robinho, que está em fim de contrato com o Atlético Mineiro e rejeitou a proposta apresentada para renová-la, e também de Gabriel, que não teve sucesso desde que trocou o Santos pela Europa - foi adquirido pela Inter de Milão e está emprestado ao Benfica.

O presidente do Santos para o triênio de 2018 a 2020 evitou, porém, comentar a possibilidade de contratá-los, explicando que em um primeiro momento precisará saber como estavam as negociações de reforços da gestão de Modesto Roma Júnior. "Quero entender com a diretoria o leque de opções que temos e juntar com a nossa para optar pela melhor opção", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.