Divulgação/Cruzeiro
Divulgação/Cruzeiro

Novo presidente toma posse no Cruzeiro e exibe confiança, mas prevê 'ano difícil'

Wagner Pires de Sá e integrantes do Conselho Deliberativo foram empossados nesta segunda-feira

Estadão Conteúdo

18 de dezembro de 2017 | 23h26

Eleito recentemente para o triênio 2018-2020, o novo presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, e os integrantes da sua diretoria e do Conselho Deliberativo de sua gestão tomaram posse oficialmente na noite desta segunda-feira, em cerimônia realizada no Cine Theatro Brasil Vallourec, em Belo Horizonte.

+ Cruzeiro anuncia filho de Antonio Lopes para auxiliar técnico em 2018

Ao ser empossado no cargo máximo do clube, o dirigente exibiu otimismo, mas admitiu que terá pela frente uma primeira temporada complicada durante sua gestão, na qual o primeiro grande objetivo será a busca pelo tricampeonato da Copa Libertadores, para a qual o time assegurou classificação ao conquistar a Copa do Brasil de 2017.

"Para nós é uma responsabilidade muito grande dirigir o Cruzeiro Esporte Clube, hoje tranquilamente uma das melhores equipes do futebol brasileiro e mundial. Teremos um ano de 2018 difícil, com grandes competições e partiremos com uma equipe reforçada e com tranquilidade para vencermos todos os obstáculos", ressaltou Wagner Pires de Sá em seu discurso de posse.

Junto com o presidente, tomaram posse também nesta segunda-feira os seguintes dirigentes: Hermínio Francisco Lemos (1º vice-presidente), Ronaldo Granata (2º vice-presidente), Zezé Perrella (ex-mandatário do clube e agora presidente do Conselho Deliberativo), José Dalai (vice-presidente do conselho), Paulo Roberto Sifuentes Costa (1º secretário), Waldeyr Estevão de Paula Júnior (2º secretário), além dos membros do Conselho Fiscal Geraldo Luiz Brinati, Ubirajara Pires Glória, Celso Fernandes Tolentino Filho, Valter Batista Teixeira, Daniel Márcio Almeida Faria e Celso Luiz Chimbida.

"Como eu sempre digo, eu vim da área privada, sou um empresário. Vamos fazer uma administração profissional. Vamos trabalhar com cinco vice-presidências executivas, uma financeira, uma jurídica, a de futebol, a administrativa e a da área comercial, marketing e TI. Vejo o Cruzeiro com ou vejo a minha empresa, terei profissionais certos nos lugares certos e vou cobrar resultados", ressaltou Wagner Pires de Sá, que será o 33º presidente da história do Cruzeiro, no qual já chegou com a ambição de conquistar um sonho e inédito título mundial de clubes durante a sua gestão.

"Nós vamos lutar para ganharmos a Libertadores, porque ela é o primeiro passo para o único título que o Cruzeiro ainda não tem, que é o campeonato mundial", disse o dirigente, que será o sucessor de Gilvan de Pinho Tavares, mandatário cruzeirense entre 2012 a 2017.

PERRELLA

Hoje senador depois de ter sido presidente do Cruzeiro por vários anos, Zezé Perrella foi outro que discursou nesta noite de segunda como novo presidente do Conselho Deliberativo do clube, no qual substituirá João Carlos Gontijo de Amorim. E ele aposta que a gestão de Wagner Pires de Sá tem tudo para ser bem-sucedida.

"Muita expectativa positiva. Acho que o Wagner está preparado e tem todas as condições de fazer um trabalho excepcional, pela sua experiência como economista. Me coloquei à disposição dele para, se quiser, usar a minha experiência de 20 anos à frente do Cruzeiro, 17 anos no profissional e mais três na base. É isso que nós queremos, um Cruzeiro sempre forte", projetou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCruzeiro Esporte Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.