Kacper Pempel/Reuters
Kacper Pempel/Reuters

Novo técnico da Polônia promete renovação, mas manterá Lewandowski como líder

Apresentado nesta segunda-feria, Jerzy Brzeczek tem 47 anos e assinou contrato com a seleção polonesa até o final de 2019

Estadão Conteúdo

23 de julho de 2018 | 12h22

O técnico Jerzy Brzeczek foi apresentado nesta segunda-feira na seleção polonesa. Na primeira coletiva à frente do cargo, ele afirmou que pretende iniciar um processo de reformulação da equipe, mas garantiu que o centroavante Robert Lewandowski, de 29 anos, seguirá como principal referência.

+ Ozil anuncia aposentadoria da seleção alemã e acusa federação de discriminação

+ 'Sou criticado por tudo. Essa encheção não é mais para mim', desabafa Neymar

+ Deschamps defende que Griezmann ou Mbappé ganhem prêmio de melhor do mundo

"Lewandowski continuará no time como capitão. Não quero fazer nenhuma revolução. Só ir rejuvenescendo a equipe pouco a pouco com novas convocações", explicou. "Estou bastante entusiasmado, com esperança e disponível para os jogadores", prosseguiu.

Brzeczek tem 47 anos e assinou contrato com a seleção polonesa até o final de 2019, com renovação automático caso a equipe garanta vaga na Eurocopa de 2020. O novo treinador foi meio-campista profissional por cerca de 20 anos e construiu a maior parte de sua carreira na Polônia, além de ter atuado na Áustria e em Israel. Com a seleção nacional, conquistou a medalha de prata na Olimpíada de Barcelona, em 1992. Como técnico, trabalhou em equipes de menor expressão do país e estava no Wisla Plock desde o ano passado.

A seleção polonesa decepcionou na Copa do Mundo da Rússia e foi eliminada na primeira fase. A saída precoce, após derrotas para Senegal e Colômbia e apenas um triunfo diante do Japão, custou o cargo do então treinador Adam Nawalka.

Apesar da campanha ruim no Mundial, Nawalka fez um bom trabalho na Polônia, garantiu a equipe na liderança de sua chave nas últimas Eliminatórias Europeias e o bom aproveitamento deixou a seleção como uma das cabeças de chave na Rússia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.