Novo técnico do Goiás diz que motivação pesou em jogo

Contratado no início desta semana para assumir o lugar do demitido Jorginho, ex-auxiliar de Dunga na Copa do Mundo de 2010, o técnico Artur Neto estreou com uma vitória por 1 a 0 sobre o Avaí, em Florianópolis, na última quinta-feira à noite, e levou o time às semifinais da Copa Sul-Americana. Após o duelo, o treinador destacou que a parte motivacional pesou para que a equipe conseguisse a vaga em meio ao péssimo momento que vive no Campeonato Brasileiro.

AE, Agência Estado

12 de novembro de 2010 | 10h36

Artur Neto comandou o seu primeiro treino no Goiás apenas na terça-feira e admitiu que pouco pôde fazer para melhorar a equipe. "Se eu falar que eu fiz isso e aquilo no treinamento é mentira. Eu apenas posicionei (o time) na terça-feira, que era o único trabalho que dava pra fazer, até porque ontem (quarta-feira) eu não podia desgastar o elenco antes da viagem. O trabalho foi mais de posicionamento e mais na parte realmente motivacional. O mérito foi deles (jogadores), pois eles entenderam a mensagem, e jogaram mais do que vinham jogando. E eu disse para eles: ''Vocês têm potencial para jogar mais'', e eles acreditaram mais neles. E eles conseguiram fazer melhor do que vinham fazendo", destacou o treinador, em entrevista coletiva.

O novo comandante do Goiás também exaltou a importância que o triunfo tem para o Goiás em termos psicológicos para a continuidade do Campeonato Brasileiro, no qual a equipe ocupa a penúltima posição, com 31 pontos, cinco a menos do que o Atlético-MG, primeiro time fora da zona de rebaixamento da competição.

"Uma vitória como essa te coloca numa semifinal da Copa Sul-Americana. É uma equipe que está passando por um momento tão difícil no Campeonato Brasileiro, está lutando contra o rebaixamento e vem de uma sequência de derrotas e consegue uma classificação. Isso ''moraliza'' muito, e ''moraliza'' mais da maneira que foi", reforçou.

Já ao comentar sobre o desempenho do Goiás diante do Avaí, na partida em que o atacante Rafael Moura marcou o gol que assegurou a vitória no final do primeiro tempo, Artur Neto fez uma série de elogios. "Foi um time que soube controlar o jogo. O time foi muito competitivo, marcou quando tinha de marcar e foi mortal quando tinha que ser. Se a fase é um pouco melhor teria feito até mais gols, porque nessa hora pesa um pouquinho a fase, a perna balança um pouco na hora de definir, se não (o time) tinha feito dois ou três gols no final, com todo o respeito ao Avaí", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.