Fabio Menotti/Agência Palmeiras
Fabio Menotti/Agência Palmeiras

Novo técnico do Palmeiras acha que verde é uma cor que dá azar

Ricardo Gareca terá que lidar com uma curiosa superstição para vencer no Alviverde

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

22 de maio de 2014 | 11h40

SÃO PAULO - Pouco conhecido de boa parte dos torcedores palmeirenses, Ricardo Gareca foi confirmado na quarta-feira como novo técnico do Palmeiras e além do bom trabalho nos últimos anos, no futebol argentino, ele chama atenção também por uma superstição que pode lhe deixar em saia justa no clube: ele acha que a cor verde dá azar.

O treinador trata o assunto como brincadeira, mas por diversas vezes já deixou claro que não simpatiza muito com a cor predominante do Palmeiras. "Não tem problema, mas é melhor deixar o verde fora", disse uma vez, o novo comandante alviverde.

Em 2009, Zapata, capitão do Vélez Sarsfield, ex-clube do treinador, revelou que o treinador não deixava que os atletas usassem chuteiras verdes. "Não podemos usar, nem louco! Ricardo tem suas superstições e temos de respeitá-las, pois senão ele não fica tranquilo", explicou o atleta.

Segundo a imprensa argentina, Gareca até já vetou a cor no ônibus do Vélez e no hotel onde a equipe geralmente ficava concentrada. Coincidência, ou não, desde que chegou ao Brasil, ele não foi visto de verde.

No desembarque no Aeroporto de Cumbica, na quarta-feira, desceu vestindo branco e preto. Horas depois, quando foi anunciado como novo treinador, deu entrevista vestindo preto e uma camisa na cor salmão.

Mas a "briga" com o verde está com as horas contadas. O treinador deve ser apresentado na sexta-feira e já deve vestir um uniforme do clube.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasRicardo GarecaFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.