Gaspar Nobrega/DGW Comunicação
Gaspar Nobrega/DGW Comunicação

Número 2 do Brasil, Thiago Wild fura quali e disputará o Masters 1000 de Miami

Tenista brasileiro conquista vaga ao derrotar norte-americano Mitchell Krueger, por 2 sets a 0

Redação, Estadão Conteúdo

23 de março de 2021 | 16h02

O tênis brasileiro terá dois representantes na chave principal de simples do Masters 1000 de Miami, disputado em quadras rápidas nos Estados Unidos, que começará nesta quarta-feira. Número 1 do Brasil e 76 do mundo, o cearense Thiago Monteiro já estava garantido e agora terá a companhia do paranaense Thiago Wild. Nesta terça, o segundo melhor do país (125.º colocado no ranking da ATP) furou o qualifying e disputará um evento deste nível pela primeira vez na carreira. A vaga veio ao bater o norte-americano Mitchell Krueger por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/3.

Na chave principal, Thiago Monteiro não deu muita sorte no sorteio e vai enfrentar logo de casa o sul-africano Kevin Anderson, que já foi Top 10. Se vencer terá pela frente o grego Stefanos Tsitsipas, atual número 5 do mundo. O paranaense espera a definição de todos os qualificados para o sorteio que definirá o seu lugar na chave.

Wild conquistou a sua sétima vitória em 2021, tendo perdido outros oito jogos. A sequência de dois triunfos em Miami foi apenas a segunda da temporada, algo que só havia acontecido no Challenger de Concepción, no Chile, onde foi até as quartas de final. Ao estrear na chave principal, ele seu segundo jogo em nível ATP do ano, tendo perdido o único até então - caiu na estreia do ATP 250 de Córdoba, na Argentina para o local Juan Manuel Cerúndolo, que depois conquistaria o título.

DESISTÊNCIA

Após as ausências do suíço Roger Federer, do espanhol Rafael Nadal e do sérvio Novak Djokovic, agora a competição contou com a desistência de última hora do britânico Andy Murray, o último do chamado "Big Four" do tênis masculino, que sentiu uma lesão na virilha e será mais um que não competirá no torneio.

"Tive problemas enquanto treinava, fiz um trabalho na academia na última sexta-feira, sem problemas, mas quando acordei 3 horas da manhã, senti dores na virilha. Não foi no local de minha cirurgia, só que quando saí da cama tive um pouco de dificuldade para andar", contou Murray, que chegou mais cedo na Flórida para se aclimatar e estava otimista pelo futuro.

"Não tenho ideia do que aconteceu. É uma dessas coisas doidas, foi melhorando progressivamente a cada dia, mas não o suficiente. Não treino desde sexta", complementou o escocês convidado da organização, que iria estrear na chave principal contra o sul-africano Lloyd Harris e agora será substituído por um "lucky-loser".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.