Evelson de Freitas/AE
Evelson de Freitas/AE

Número de africanos na Copa pode crescer, diz Blatter

'Vou defender a África nessa questão', avisa o presidente da Fifa, pensando nos próximos Mundiais

AE, Agência Estado

26 de junho de 2009 | 10h00

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, afirmou nesta sexta-feira que o número de países africanos em Copas do Mundo pode crescer nos próximos anos. Pelo sistema atual, há cinco representantes do continente na competição - em 2010 serão seis, já que a África do Sul é o país-sede.

"Vou defender a África nessa questão. Não é fácil para que as seleções africanas consigam causar uma boa impressão na Copa, porque pela lei das probabilidades, é mais difícil para eles chegarem em maior número às fases finais. Afinal, a Europa tem 13 equipes", disse Blatter, em entrevista coletiva na cidade de Johannesburgo.

Embora já tenham sido apontadas como forças do futebol mundial, as seleções africanas jamais foram a uma semifinal de Copa do Mundo. Para Blatter, esse desempenho tende a melhorar na África do Sul.

"Em 2010 os africanos terão a vantagem de jogarem em casa, no seu continente, com uma atmosfera especial. Eles já mostraram que podem fazer um bom papel no ano que vem", afirmou o mandatário da Fifa.

Na quinta-feira, a seleção da África do Sul deu trabalho para o Brasil na semifinal da Copa das Confederações e foi derrotada apenas por 1 a 0, com gol de Daniel Alves. Na primeira fase, o Egito venceu a Itália também por 1 a 0, e perdeu para os brasileiros por 4 a 3, com gol de pênalti de Kaká no minuto final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.