Divulgação
Divulgação

Número de estrangeiros no futebol brasileiro aumenta 66%

Em menos de um ano 19 atletas chegam, mas Brasil segue como um dos campeonatos nacionais com menos jogadores de outros países

CIRO CAMPOS, O Estado de S. Paulo

26 de julho de 2012 | 16h09

SÃO PAULO - O número de jogadores estrangeiros no futebol brasileiro aumentou 66% desde o fim do ano passado, ao passar de 29 para 48 atletas. Os dados são de um estudo divulgado nesta quinta-feira pela Pluri Consultoria e trazem ainda uma novidade: apesar de ser atrativo, o mercado nacional é o mais fechado a 'imigrantes' entre as 60 maiores ligas nacionais do mundo.

A chegada recente de reforços de peso como Seedorf e Forlán ressaltou a atratividade do futebol brasileiro. Entre os motivos apresentados pelo estudo estão a crise europeia e o fato de o Brasil representar 45% do PIB da América do Sul. O continente, aliás, é a principal origem dos estrangeiros em atuação. Porém a maioria dos jogadores estrangeiros são argentinos, 47% do total, seguidos por uruguaios e paraguaios.

Os estrangeiros em atuação no Brasil tem valor de mercado de R$ 88,4 milhões e média de idade de 26 anos. Mas mesmo com a chegada cada vez maior, o mercado ainda não se expandiu totalmente e tem poucos imigrantes se comparado a outros países. A limitação de três estrangeiros inscritos por competição é o principal motivo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.