Números favoráveis não ajudam México em empate de 0 a 0

Maior posse de bola, mais chutes certos e um jogador a mais desde os 35 minutos do segundo tempo. Nenhum destes números favoráveis fez com que o México não saísse de um fraco empate de 0 a 0 com Angola, nesta sexta-feira, em Hannover. Os mexicanos dominaram o jogo em muitos aspectos. Em posse de bola, por exemplo, 54% contra 46% dos africanos, que fizeram seu primeiro ponto em Copas do Mundo. Aliás, os angolanos estão debutando em mundiais, e conseguiram segurar os experientes mexicanos por uma razão: a ótima atuação de seu goleiro, João Ricardo.Eleito o melhor jogador da partida, o arqueiro angolano segurou a artilharia do México, que finalizou em sua meta 13 vezes, acertando em oito oportunidades. Angola chutou oito vezes e acertou o gol de Oswaldo Sánchez um vez só.Outro fator que deixou o jogo muito truncado e dificultou a vida dos mexicanos foram as faltas. Os africanos fizeram 22 e foram advertidos com cinco cartões amarelos e um vermelho, para André, aos 35 da etapa final. Porém, mesmo com a vantagem numérica, o México (que fez 20 faltas e tomou apenas um cartão amarela) não conseguiu furar o bloqueio angolano, de Angola, que ainda sonha com uma surpreendente vaga para as oitavas-de-final do Mundial da Alemanha.Veja abaixo as estatísticas do jogo:Finalizações: México, 13; Angola, 8 Finalizações certas: México, 8; Angola, 1 Faltas cometidas: México, 20; Angola, 22 Cartões amarelos: México, 1; Angola, 5 Cartões vermelhos: México, 0; Angola, 1 Escanteios: México, 6; Angola, 5 Impedimentos: México, 0; Angola, 8 Posse de bola: México, 54%; Angola, 46% Melhor jogador da partida: João Ricardo (Angola)(Com fifaworldcup.com)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.