Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Números mostram que Borja é melhor que Deyverson no Palmeiras

Brasileiro é o artilheiro da era Felipão e colombiano é o goleador da Libertadores

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

17 Outubro 2018 | 05h02

O entusiasmo dos torcedores do Palmeiras com a boa fase de Deyverson esbarra na comparação com o aproveitamento do titular Borja. O atacante da seleção colombiana jogou mais vezes, anotou mais gols e tem melhor aproveitamento. Enquanto Deyverson tem sido o artilheiro da era Felipão – todos os seus sete gols foram feitos com o novo treinador -, o colombiano é o goleador da Libertadores e deverá voltar ao time para os jogos decisivos diante do Boca Juniors a partir da próxima semana.

Em 35 jogos, Borja fez 19 gols. Isso significa uma média de 0,54 gols por jogo. Já Deyverson atuou em 30 jogos, anotando sete gols, o que dá um aproveitamento de 0,23. Portanto, o colombiano tem um aproveitamento duas vezes maior.

Pesa a favor do polêmico Deyverson um aspecto subjetivo. “Deyverson é um guerreiro. Ele mostra amor pela camisa, chora e vibra pelo time. Ele faz o torcedor ficar alegre e está se tornando um ídolo da torcida”, defende o ex-atacante Cesar Maluco, que integrou os times da Academia entre 1960 e 1970. Por isso, o ídolo palmeirense defende que Felipão encontre uma forma de escalar os dois atacantes juntos. “O Deyverson pode atuar mais centralizado, dentro da área, enquanto o Borja pode jogar pelos lados”, argumenta.

Deyverson é o artilheiro de Felipão, à frente de Dudu e Lucas Lima têm quatro gols cada. Por outro lado, ele continua mostrando os traços que o fizeram ser suspenso das três competições que o Palmeiras disputava (Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro e Libertadores). Diante do Grêmio, ele chutou a bola após apito do árbitro e simulou faltas.

Borja é um atleta com rodagem internacional que acabou de ajudar a Colômbia a virar um amistoso sobre os Estados Unidos por 4 a 2. É o artilheiro da atual edição da Libertadores, dividindo o posto com o também colombiano Wilson Morelo, do Santa Fe. Um dos gols do colombiano foi anotado exatamente diante do Boca Juniors, na Argentina, na vitória por 2 a 0 na fase de grupos. 

“Deus me deu benção e talento. Estamos passando por um bom momento, tenho nove gols e vamos ver o que acontece nas próximas partidas”, disse o camisa 9 ao jornal As. 

 
 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.