EFE/JuanJo Martín
EFE/JuanJo Martín
Imagem Robson Morelli
Colunista
Robson Morelli
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Nunca duvidem do Real Madrid nem dos jogadores brasileiros em finais na Europa, como Vini Jr.

Atacante dá ao clube espanhol sua 14ª taça da Liga dos Campeões ao marcar o único gol da final contra o Liverpool em Paris; ao som do inglês Queen, Marcelo levanta a "orelhuda"

Robson Morelli, O Estado de S.Paulo

28 de maio de 2022 | 19h15

Nunca duvide do Real Madrid nem de jogadores brasileiros em finais de campeonatos na Europa. O time espanhol superou todas as adversidades possíveis para ganhar sua 14ª taça da Liga dos Campeões. Passou por rivais bem melhores do que ele, mesmo na decisão de Paris, diante do ótimo Liverpool. Também esteve nos pés do brasileiro Vinícius Jr a bola da conquista, no único gol marcado na grande final, uma das melhores e mais badaladas das últimas edições. Vini entrou para a história e deu ao Real Madrid mais uma conquista. Ele entra para a história do clube espanhol, onde brilharam tantos outros brasileiros como Ronaldo, Roberto Carlos e Kaká.

O Real Madrid não é um time pronto, por mais irônico que isso possa parecer. Dos europeus da Liga dos Campeões, foi se montando ao longo da competição, superando rivais do tamanho de PSG, Chelsea e Manchester City. Não foi fácil. Outros brasileiros brilharam no time de Madri, como Rodrygo, Casemiro, Militão... até Marcelo, reserva hoje, tem sua contribuição. O lateral deve se despedir do clube com essa taça, a 25ª de sua carreira. Aos som da banda Quen, com o famoso 'We Are The Champions', ele levantou a "orelhuda".

Ao Liverpool, um gigante comandado por Mané e Salah, que jogou melhor do que o Real Madrid em Paris, fica a certeza de estar no caminho certo, de ter um elenco valente e bom de bola, com quase nenhuma mudança a se fazer após a temporada. Não levou o Campeonato Inglês nem a Liga dos Campeões, paciência, nem sempre o melhor em 90 minutos fica com a vitória. A verdade é que a taça estaria em boas mãos com qualquer um desses dois.

Apesar da bagunça para que os torcedores entrassem no estádio em Paris e do atraso do jogo em 36 minutos, a partida colocou os amantes do futebol, do bom futebol, diante da TV, à espera de um jogo excelente como foi. Carlos Ancelotti ganhou sua quarta Liga dos Campeões. Um treinador importante, que fez o time reagir quando ele parecia sem forças. Os jogadores do Liverpool se mantiveram em campo após a medalha, aplaudindo os campeões espanhóis. Isso no Brasil não se faz, porque os vices não aceitam a derrota. Vale a lição. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.