Sergio Perez/Reuters
Sergio Perez/Reuters

'O Brasil é o melhor time da competição', diz técnico da Bélgica antes de duelo

Seleções se enfrentam na sexta-feira, às 15 horas, pelas quartas de final

Estadão Conteúdo

02 Julho 2018 | 19h26

O técnico da Bélgica, Roberto Martínez, apontou a seleção brasileira como a melhor da Copa do Mundo e a favorita para o duelo com o seu time, na próxima sexta-feira, pelas quartas de final do Mundial da Rússia. E admitiu, nesta segunda, que os talentos individuais dos brasileiros já lhe causam preocupação.

+ Treinador da Bélgica exalta postura dos jogadores: 'Foi um teste de caráter'

+ Osorio diz que futebol é para homens e vê 'palhaçada' em lance com Neymar

+ Tite defende Neymar em polêmica e pede para Osorio analisar vídeo de confusão

"Quando você joga contra o Brasil, precisa entender que é o melhor time da competição. É preciso aceitar isso. Quanto antes você entende seu papel, mais rapidamente as coisas ficam claras", afirmou o treinador, após a vitória da Bélgica sobre o Japão por 3 a 2, nesta segunda.

Martínez reconheceu que, desta vez, a Bélgica não será favorita, ao contrário do que aconteceu nos jogos anteriores da equipe nesta Copa. "Não somos favoritos. Acredito que ninguém vai esperar que vamos às semifinais", comentou Martínez, logo depois do suado triunfo de virada sobre os japoneses.

Para o treinador, o maior perigo da seleção brasileira está nos talentos individuais. "Tem a qualidade de jogadores como Coutinho, Neymar, que podem decidir o jogo em apenas um segundo", alertou.

 

Na sua avaliação, a Bélgica deve "aproveitar" o jogo, como um grande evento, por se tratar de um confronto com uma das seleções mais tradicionais da história. "É um jogo que, quando você é um menino, você sonha estar envolvido, em uma Copa do Mundo, numa partida contra o Brasil, nas quartas de final. Vamos aproveitar este jogo desde o primeiro segundo."

Um dos principais jogadores da equipe belga, o meia Eden Hazard também se disse honrado pela oportunidade de jogar contra o Brasil. "Será um momento magnífico porque enfrentar o Brasil é sempre incrível como um jogador de futebol. Vamos descansar um pouco e aí tentaremos muito ganhar a próxima partida."

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.