Andreza Galdeano/ Estadão
Andreza Galdeano/ Estadão

'O futebol feminino avançou no que diz respeito à igualdade e visibilidade', diz Milene Domingues

Embaixadora do futebol feminino do Corinthians marcou presença na cerimônia de premiação do Campeonato Paulista

Andreza Galdeano, O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2019 | 11h00

Milene Domingues é embaixadora do futebol feminino do Corinthians, atual campeão do Paulistão. A ex-senhora Ronaldo marcou presença na cerimônia de premiação da competição realizada pela Federação Paulista de Futebol (FPF) nesta segunda-feira no Museu do Futebol, no Pacaembu. Para a Rainha das Embaixadinhas, a categoria teve grande avanço no que diz respeito à igualdade e visibilidade, mas ainda falta muito.

"Para mim, é um sonho ver o futebol feminino nesse patamar. Sei que ainda falta muito, mas é um grande avanço. Lembrar que participei do primeiro time feminino em 1996 e estamos aqui em 2019 recebendo o prêmio de campeã paulista é algo maravilhoso. Neste ano, tivemos um saldo de respeito, igualdade e visibilidade", disse Milene ao Estado.

A embaixadora do Corinthians também destacou o público presente na final da competição. Diante de 28.862 pessoas, a equipe alvinegra derrotou o São Paulo e levantou o troféu em Itaquera. O número foi recorde de público para um duelo entre clubes femininos no País. "Quando a gente pensava que não poderia melhorar, veio o Corinthians e fez a quebra de vários recordes. O público na Arena foi algo que nunca vou esquecer na minha vida. Estava lá no meio, olhando toda aquela torcida. Antes, a gente tinha de pedir praticamente para toda a nossa família ir assistir aos jogos e aplaudir. É um sonho que nunca pensei em ver. A primeira coisa que pensei naquela final foi: 'eu vivi para ver isso'".

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
O público na Arena foi algo que nunca vou esquecer na minha vida. Estava lá no meio, olhando toda aquela torcida
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Milene Domingues, embaixadora do Corinthians

Além de uma campanha histórica, uma que o Corinthians venceu todos os 20 jogos que disputou no Campeonato Paulista, outro fator que ajudou a atrair um bom público foi a rede sociai. Milene conta que o trabalho nas contas oficiais do futebol feminino do clube alvinegro foi intensificado em 2018. Para se ter uma ideia, entre fevereiro e março do ano passado, o Instagram (@corinthiansfutebolfeminino) contava com 80 mil seguidores. Hoje, a conta atinge a marca de 427 mil.

"Está muito mais fácil de ser divulgado onde vão passar os jogos, as datas, o calendário como um todo. A internet veio para ajudar. Mas esse trabalho também foi de formiguinha. Estamos nisso há muito tempo. A Copa do Mundo nos ajudou demais a falar do futebol feminino, as pessoas reconheceram o futebol feminino, a gente saiu um pouco daquele meio só da galera que frequenta, que joga, que gosta e procura. Estamos expandindo para as pessoas que simplesmente começaram a acompanhar sem ter a pretensão de seguir a campanha das meninas", explica Milene.

Questionada sobre a próxima temporada, Milene afirma que o trabalho no Corinthians continuará no mesmo patamar e a tendência é aumentar os investimentos. "Acredito que vai melhorar. De uma coisa tenho certeza, estive muitos anos no futebol e a gente teve altos e baixos, daqui para frente a gente não retrocede mais. Para o ano que vem, queremos, obviamente, que seja mais conhecido e que tenha mais visibilidade".

Como um sonho ainda a ser alcançado no futebol feminino, a Rainha das Embaixadinhas conta ao Estado que gostaria de ver mais jogadoras de talento defendendo os clubes do Brasil. "Repatriar outras jogadoras é importantíssimo. Quem sabe a Marta não vem jogar com a gente?", diz Milene. "Todas as jogadoras vão para fora. Quem sabe não conseguimos trazer essa geração que daqui a pouco vai deixar de jogar futebol? Agora é a hora de vê-las também nos campeonatos disputados aqui no Brasil, ao lado dos seus familiares, no clube do coração, e vendo como o futebol feminino cresceu. A ideia é sempre progredir. Acho que esse é o objetivo de todos os clubes".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.